sábado, 31 de dezembro de 2016

Retrospectiva, reflexão...

Nenhum ano foi tão esperado como 2016. Nenhum ano foi vivido tão intensamente como 2016. De todas as experiências fica um sentimento de dever cumprido... Como se eu tivesse feito exatamente aquilo que devia fazer. Em 2016, mais do que nunca, segui meu coração. A vida exigiu isso de mim e eu, como sou e me conheço, fui absolutamente incapaz de viver em discordância com o que sinto. Sou expressão viva, o tempo inteiro.
Em 2016 me presenteei com a oportunidade de rever amigos que há anos não via, de pisar novamente em lugares que eu conhecia e amava, mas que agora são como lembranças flutuantes conectadas a sentimentos intensos... Em um mundo que já não é o meu. Foi aí que a vida me mostrou que não estou presa ao passado, como já senti, mas que criei vínculos tão profundos que me permitiram, ao longo dos anos, ser quem eu sou... E só isso. E então pude seguir.
Em 2016 pude constatar a veracidade daquele ditado sobre coisas boas acontecerem justamente porque outras coisas que queríamos terem dado errado anteriormente. E foi exatamente assim... Uma porta que se fecha, outra porta que se abre. E assim as oportunidades foram surgindo e surgindo, e à medida que pude as abracei... Hoje, quando observo tudo o que me aconteceu, tenho a sensação de que tudo está em seu devido lugar, e tudo está interligado até os mínimos detalhes.
As coisas são como tem que ser e não poderiam ser diferentes.
O ano de 2016 não foi um mar de rosas, muito pelo contrário, foi cheio de turbulências... Mas, acima disso, 2016 foi um presente, um privilégio, e sou imensamente feliz e grata pela minha natureza de viver tudo intensamente, pois sei que, desta forma, não perdi absolutamente nada. Vivi tudo, tudo, tudinho. Meus estágios: o hospital, repleto de dor e sofrimento pelos quais fui dominada no início, até compreender o que estava sentindo; o SAP, que sempre foi meu sonho e que se concretizou maravilhosamente e que trouxe gratidão sem fim; e o fórum, que nunca foi pensado, mas que foi assumido e feito com seriedade e profissionalismo. Meu projeto lindo, o PalhaSorrisos, que me enche de alegria e emoções o tempo inteiro... E as pessoas que entraram na minha vida a partir de tudo isso.
Os amigos, distantes ou próximos, mas muito presentes, sempre me resgataram quando eu me senti perdida, quando não sabia que rumo tomar... Amigos que não conheciam a situação que eu vivia, mas que conheciam tanto a mim que foram como faróis que me nortearam de volta à mim mesma.
Minha família linda (meus pais, meus irmãos, meu companheiro) que sempre me apoiou, do início ao fim, em tudo que eu quis pra mim. Sempre acreditou. Sempre incentivou. Nunca limitou, nunca podou. Eu não poderia escolher pessoas melhores para fazerem parte da minha vida.
É por isso que sempre falo sobre o quanto sou uma pessoa privilegiada. A vida me presenteou com pessoas maravilhosas... Geograficamente falando, há pessoas nos mais diversos lugares, mas nenhuma eu sinto distante. Todas eu sinto junto comigo. E me pergunto sobre o que a vida quer me ensinar com essa distância dolorosa, que leva pra longe quem eu amo, que me afasta do que eu sempre conheci? Ainda hei de descobrir e sei que então tudo fará sentido. Não que não haja sentido agora... Há e muito! Cada momento e cada dia é cheio de significado para mim. Cada acontecimento. Cada mudança. Cada atraso, cada coisa que eu esqueço e tenho que voltar. Cada minuto vivido diferentemente do que foi planejado. Tudo está interligado. Então eu me esforço pra não reclamar, pra ver o significado por trás de tudo, e compreender.

Entrego. Confio. Aceito. Agradeço.


Feliz 2017 a todos!!!
Que o ano vindouro seja maravilhoso e repleto de experiências emocionantes, como 2016 foi!

Nenhum comentário:

Postar um comentário