quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

A arte de ser leve


É bonito quando nos percebemos diferentes do que já fomos... E é bonito também quando os outros nos percebem diferentes do que já fomos. A mudança é a lei da vida. A transformação. A superação. O seguir em frente, deixar pra trás... Deveríamos meditar cada uma dessas palavras como um mantra, até que as integremos ao nosso modo de ser, pensar e agir.
Essa época do ano sempre suscita em mim diversas reflexões... Vejo-a como uma nova possibilidade, uma nova chance... Um bom momento para recomeçar (é bom lembrar que sempre que sentirmos necessidade, é um bom momento para recomeçar): propor novas metas, novos objetivos; superar velhos medos, desentendimentos; desapegar, carregar menos peso...
Quanto tempo perdemos remoendo dores antigas! Quanta energia gastamos com relacionamentos que não nos servem mais! Quanto espaço desperdiçado com velharias as quais somos apegados!
Nesse novo ano, liberte-se do que passou, do que não serve mais, de quem nos faz mal (ou, simplesmente, não nos acrescenta em nada). Liberte-se de tudo o que é desnecessário...
Liberte a si mesmo e aos outros de velhas mágoas, brigas... Perdoe! Ao perdoar, fazemos um bem imenso, a nós e ao outro.
Liberte-se do orgulho, permita-se mudar o que lhe desagrada (reclamar, infelizmente, não resolve), permita-se errar, permita-se aproveitar a vida! Compre um presente para si mesmo, simplesmente por que você merece, por seu esforço... Reserve um tempo do dia para você, e desfrute-se: ouça seus próprios pensamentos, você consegue identificar seus sentimentos, ou tudo parece muito confuso? Faça algo que goste: ler, cozinhar, ouvir música, dormir, caminhar... qualquer coisa, desde que lhe proporcione prazer e que você se sinta, durante aquele período de tempo, livre de obrigações.
Liberte-se também do excesso de obrigações e responsabilidades: ninguém é obrigado a carregar o mundo nas costas, ninguém precisa provar o seu valor, e se você convive com pessoas que lhe mostram o contrário, talvez você precise libertar-se delas também.
Liberte-se de pessoas desagradáveis, de quem só reclama e vê defeito em tudo...
Afaste-se de quem lhe transmite energia negativa, de quem te causa cansaço... E se essa pessoa for muito importante pra você, alerte-a com cuidado e afeto, talvez ela não tenha percebido, mas isso a prejudica também.
Liberte-se de ser uma pessoa perfeita. Liberte-se de ser quem você sempre foi, permita-se transcender, tente ser uma pessoa melhor... não pelos outros, mas por você!
Conheça a si mesmo: Do que você gosta? Do que você não gosta? Quais são os seus sonhos? Do que você tem medo? Quais são suas qualidades?
Aprenda a dizer não quando algo lhe desagrada, não deixe que lhe tratem mal (os outros só nos fazem aquilo que permitimos que façam), mostre o seu valor, se defenda quando necessário. Liberte-se das expectativas alheias, do que esperam de você... Coloque-se em primeiro lugar na sua vida, e não estará sendo egoísta, mas estará respeitando-se como uma pessoa digna.
Lembre-se que tudo o que sentimos é de responsabilidade nossa, assim como tudo o que o outro sente é de responsabilidade dele. Sentimos o que nos permitimos sentir. Somos afetados porque nos permitimos afetar. Ninguém pode curar nossas dores, a não ser nós mesmos, assim como ninguém pode nos fazer feliz. Ninguém pode nos fazer sentir paz, plenitude...
Há algumas coisas que só nós podemos fazer por nós mesmos: somos continentes de tudo o que precisamos para sentirmo-nos bem, mas precisamos explorar o nosso interior a fim de encontrar todos os nossos potenciais. Como? Há várias formas de alcançar o autoconhecimento, quais? Comece por ai: descubra o que é melhor pra você!

Tenho aprendido...

4 comentários:

  1. Verdade. Seu texto está certo. Quando nos conhecemos e aceitamos quem somos, a vida fica mais leve. Se a gente não se amar, não podemos exigir o amor do outro, e por aí vai..
    Abraços Mika
    Pensamentos Viajantes

    ResponderExcluir
  2. Vontade de te bater! Haha
    Claro que a qualidade estética do texto está boa, assim como a mensagem transmitida.

    Beijo
    <3

    ResponderExcluir
  3. "Quanto tempo perdemos remoendo dores antigas! (...) Quanto espaço desperdiçado com velharias as quais somos apegados!" concordo plenamente.

    Sempre faço uma reflexão nesta época, mas confesso que as mudanças pra mim não são tão simples, acho que o meu problema é o sentir hahaha.

    Gostei do seu blog, abraço!

    http://devaneios-irreais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir