segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Sobre o passado e o que podemos ser

Diariamente, em minhas leituras, deparo-me com diversos pensamentos que repercutem na minha mente e depois se perdem dentre infinitas informações já adquiridas...
Hoje, ao ler uma crônica de Martha Medeiros sobre a mesmice que somos e insistimos em ser, e a necessidade de abrirmo-nos para o novo, deixando para trás o que não nos serve mais, refleti sobre a necessidade de deixarmos para trás também a obsessão de que somos-assim-e-pronto, porque somos seres mutáveis e ninguém está livre de uma grande surpresa ao dobrar a esquina.
Há alguns dias tentei fazer uma retrospectiva sobre o ano de 2015 e não consegui organizar acontecimentos e pensamentos de modo a escrever algo minimamente interessante ao leitor... Pareceu piegas demais escrever que nesse ano eu cheguei ao meu limite e chutei o balde, que fui feliz, viajei, vi o mar pela primeira vez, tive vislumbres de um futuro bom, fiz amizades valiosíssimas, fui corajosa, medrosa... Essas experiências me pareceram de uma simplicidade tão grande que não consegui lidar: sem complexidade, sem mistérios ou incógnitas, nada a descobrir ou a revelar, apenas uma sutileza que enche de interrogações quem insiste em complicar a vida... Assim, cheguei a conclusão de que não haveria o que escrever sobre 2015, resolvi olhar pra frente!
E devo dizer que o que vem pela frente me enche de sonhos e esperança, a ponto de me emocionar...
Refletir sobre o que passou é importante, principalmente para que não repitamos os mesmos erros, mas é essencial que, na maior parte do tempo, miremos o que há por vir, o que ainda podemos ser e fazer.
Devemos gastar nossa energia mais com o que está por vir do que com o que já passou... Mais com o que queremos nos tornar do que com o que fomos... De nada adianta remoer o passado se não tiramos dali inspiração para sermos diferentes. De nada adianta continuarmos os mesmos, só porque somos-assim-e-pronto.
Que em 2016 tenhamos a coragem de absorver ao máximo o que já nos aconteceu e seguir em frente. Que sejamos capazes de fazer o que não faríamos, de arriscar, de refletir, de perdoar... a nós mesmos. Porque somos imperfeitos, e sempre seremos, podemos até enganar o público, mas jamais enganaremos a nós mesmos.
Meus desejos para 2016 são singelos... Que os dias nos apresentem pessoas boas, que o inverno não seja tão severo, que os sonhos não caiam por terra, que dê tempo de fazer o que gostamos, que tenhamos paciência, que não haja tanto barulho, que não chova quando sairmos pra aproveitar o dia, que possamos estar em contato com a natureza, que lembremos de olhar o céu de vez em quando, que gastemos nosso tempo com o que nos interessa, que façamos o bem, que nos coloquemos no lugar do outro antes de julgar...
Se conseguirmos tudo isso, ao término de 2016, tal como 2015, não terei palavras para descrever a delícia de viver esse ano...

3 comentários:

  1. Faz sentido, mas o que tirar do passado? Só ver o lado bom e esquecer o ruim? O que levamos da vida é um múltiplo entre sorrisos e lágrimas.. Dia após dia, uma luta constante rumo à um objetivo que jamais saberemos qual ao certo, pois ao conquistar algo, sempre queremos mais, ao perder algo, sempre daremos um passo para trás... Concordo em não ter uma retrospectiva, e sim olhar pra frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anônimo!
      Creio que devemos extrair o máximo que pudermos do que passou, do que foi bom e do que foi ruim também, afinal, somos resultado do que nos aconteceu e do que fizemos com isso, não é? O que defendo é que sigamos em frente sempre, olhando para o passado quando necessário, mas sem tê-lo como foco.

      Quem é você? :)
      Obrigada por comentar!

      Excluir
  2. Eu continuo não sabendo o que dizer, talvez porque tu tocastes num ponto que doeu aqui, o desapegar e a mesmice de nós mesmos.
    Quando te conheci, tu eras uma guria insegura, cheia de medos, hoje enxergo uma grande mulher, que além de administrar a própria vida, aprendeu a administrar emoções e o que é melhor, ter auto controle.
    Tenho certeza de que esse ano será muito melhor do que qualquer outro, porque seu crescimento é infinito.
    Amo você!

    ResponderExcluir