terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Perdi as 
contas
de quantas
vezes olhei
para você
e me vi 
transbordando
em seus 
olhos.

Pâmela Filipini

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Quando se é

Inquestionavelmente, se não seguirmos em frente, a vida nos ultrapassa.
Na dor e na alegria, a vida nos impulsiona adiante, e estagnar é ilusão: um ser que se transforma constantemente não pode permanecer inerte, não pode viver sob mentiras. Um ser que se transforma busca o seu melhor, indubitavelmente... Mesmo que se perca ou erre o caminho, mesmo que viva sob uma camada de magoa e frustração.
São poucas as pessoas que se conhecem profunda e verdadeiramente. Às vezes, o que a gente pensa que é, não é, e às vezes, o que a gente pensa que gosta, nos é indiferente. Existências superficiais... Afogadas nos conceitos pobres de normalidade. Quem poderá julgar um ser que, por ser exatamente o que se é, desagrada um ou outro?
Não há saída... Se você se encontra e se conhece, seja através de corridas matinais diárias, seja através do manejo de um instrumento musical ou de terapia, seja como for... Quando se sabe o que se é, agradando ou não, uma hora outra outra, a plenitude se alcança.


"Conheces o nome que te deram, não conheces o nome que tens."
Livro das Evidências