quarta-feira, 28 de maio de 2014

Pensamentos noturnos I

Há um momento na madrugada - que a cada noite se repete - em que tudo permanece em silêncio. Não há vento lá fora, nem chuva no telhado, nem a respiração ao lado, nem um ruido sequer... Apenas o silêncio que despertar os rumores de dentro - as angustias e medos guardados pela vida inteira, deixados de lado a cada dia. Silêncio que não nos permite descansar - tira o sono,
Passamos a vida tentando evitar esse momento noturno em que nada nos protege de nós mesmos, pois o perigo está em nossas mentes... Há quem se vicie em psicotrópicos, há quem dance noite adentro - noite afora - tentando enganar a si mesmo sobre a solidão que assola todos nós... E que se mostra presente em cada silêncio. Ninguém desliga o celular, a tv, a música... É o medo da solidão, de não-pertencer, de não-saber... Medo triste de quem não se encontrou no mundo, e talvez nunca se encontrará.
Quando nossos pensamentos vagam pelas ruínas da mente, poucas pessoas têm coragem de enfrentá-los - verbalizar. A maioria permanece na zona de conforto onde nada de ruim pode acontecer - inquebráveis -, não desafiam as regras, as leis, o outro, e, pior, não desafiam a si mesmos. Fecham os olhos perante o absurdo como se fosse normal... Ignoram a realidade insuportável perante olhos humanos - humanizados -, porque a maioria das pessoas não enxerga o sofrimento alheio, está demais centrada na própria dor...
E todos fogem. Poucos enfrentam, e até os que enfrentam encontram uma forma ou outra de se distraírem do que sabem... O que os diferencia é a forma como escolhem fugir.

Texto de 25/05/2014, às 22h33.

4 comentários:

  1. Ai Dani! Tenho acho os teus textos com o arzinho de tristeza! Que tudo se resolva por aí e que as noites sejam mais leves e de sonhos e sonos bonitos. Se cuida. :*

    ResponderExcluir
  2. Tem que ter coragem pra enfrentar os pensamentos vagos da madrugada. Boa são as noites tranquilas.
    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
  3. "Ruínas da mente", eu gostei disso.
    No geral, quase tudo o que você escreveu está estacado nisso, no que podemos pensar em horários menos populares.

    Mas, será mesmo que todos fogem?

    ResponderExcluir
  4. Depois de tanto tecer, de revelar e rever, aquilo que se apresenta após a poeira ter baixado é parte edificada do que aflige.

    ResponderExcluir