domingo, 11 de agosto de 2013

Pelo direito de cada um de ser o que é

Pra me julgar você precisa vestir a minha pele, caminhar a minha história, rir meu riso, chorar meu pranto, sofrer minha dor... Pra me julgar você precisa sentir o que eu sinto, entender os meus motivos, aceitar a pessoa que eu sou do jeito que eu aceito. Pra me julgar você precisa de mais do que simplesmente "me conhecer" por algum tempo, precisa de mais do que saber meu nome e ter escutado minha voz algumas vezes... 
Você não pode enxergar através dos meus olhos, pra ver o mundo como eu vejo.
Você não pode sentir o vento através da minha pele.
Você não pode se emocionar com o que me emociona, porque você não sente o que eu sinto.
Você não pode relembrar os meus momentos, minhas dores, minhas alegrias, por que não os viveu. Sendo assim, não pode julgar-me pelo que eu fiz ou deixei de fazer, mas se tiver o bom senso de entender isso e respeitar, eu agradeço.


"Pelo direito de cada um de ser o que é, sem temer
o arrogante olhar alheio, de quem não vive a
própria vida plenamente e por isso, se sente
no direito de julgar quem o faz."