quinta-feira, 25 de outubro de 2012

O que poderia ter sido

Mais um dia sem você. Hoje eu não sinto nada, ou talvez (e provavelmente) esteja apenas anestesiada por essa saudade da pessoa que eu pensei que você fosse. Me enganei. Ou você mudou, resolveu viver de uma maneira alheias às suas palavras.
Eu sinto falta de você. E a gente sabe que "falta" é um espaço que dói em dobro, mesmo estando desocupado. A falta é o espaço do que seria, do que poderia ter sido. E o que poderia ter sido, na maioria das vezes, lateja e incomoda sem parar. O que poderia ter sido é a certeza de que não será. E algumas certezas doem.
O que se pode fazer? Fingir que não foi nada, tudo bem, uma lágrima no escuro, uma palavra aprisionada na garganta, um grito que ninguém ouve. Tudo bem. A gente sabe que passa, e espera como se não tivesse a vida inteira pela frente, dependendo exclusivamente de uma decisão nossa. Seguir. Um passo no abismo da incerteza - a realidade que nos bate à porta, e não pode ser ignorada.
E seguir significa deixar pra trás, deixar pra lá. Como se não importasse. Como se não doesse, vez ou outra, aquele vazio que ficou do que nem sequer existiu.
Mas eu penso, às vezes... Seria lindo, amor, se eu te estendesse a mão e você fizesse o mesmo. Eu sempre quis te salvar de ser tão igual a todos os outros caras, e cheguei a acreditar que você também quis, mas não o suficiente para caminhar comigo. Tão simples. Poderíamos seguir em frente juntos, mas segui sozinha. O que não admito a mim mesma é ficar estática enquanto o tempo passa, porque ele não volta, e eu já perdi tempo demais.






Triste falar de um novo amor, e em seguida de seu fim... Enfim.

7 comentários:

  1. Infelizmente às vezes, acontece da gente conhecer pessoas que inicialmente conseguimos tirar as melhores impressões e aí o tempo passa, e algumas coisas mudam e ela nos revela um lado que não temos o prazer em conhecer. Mas acontece e é nesse momento que a gente tem que mudar, fazer diferente e olhar mais para nós mesmas. Saber nos valorizar e nada melhor do que uma volta por cima para mostrar quem está certa. Chorei ao ler esse texto, por lembrar da minha história, por imaginar como você ta e não poder fazer nada e por ainda ter lindo ouvindo essa música:

    http://www.youtube.com/watch?v=Im_ZVNX1QZM

    Vida que segue amiga!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Vida que segue! Amei o comentário, e essa música é linda demais. Trilha sonora de Querido John, que também é lindo demais, rs.

    Obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Gosto desse teu jeito de palavrear.

    Flores.

    ResponderExcluir
  4. Se vocês dois não conseguiram mudar juntos é porque o amor não era tão grande assim e nem tão intenso, porque as vezes confundimos tesão com amor e aumentamos o nível do amor com confusão do tesão, talvez tenha faltado maturidade...

    Mais pra frente tu vai encontrar alguém pra te amar, assumir tu e teus problemas, sem pena, apenas com vontade de te amar, te ajudar, te idolatrar, te querer e você vai se sentir bem melhor e esquecerá esse ocorrido infeliz.

    Bom final de semana, beijos

    ResponderExcluir
  5. Sei bem como é essa saudade. E seguir tendo que finjir como não se importasse dói ainda mais.

    ResponderExcluir
  6. Querida amiga

    O fim de um amor,
    é como o fim de um sonho.
    Por isso dói...
    Por isso sufoca...
    Por isso nos faz imaginar
    o que poderia ter sido...


    Que haja sempre
    sonhos por sonhar.

    ResponderExcluir
  7. Mas passa... o bom de tudo é que passa. Esse espaço vazio se preenche e com o passar do tempo se torna só uma lembrança ruim, ou talvez com o passar do tempo você esqueça o ruim e aproveite o lado bom da experiência.
    A vida é cheia de surpresas, afinal.
    Aproveita procurar algo novo, quem sabe comece a preencher esse espaço que dói tanto.
    Tenho sumido desse mundinho de blogs, mas sempre volto, ok?
    Beijos.

    ResponderExcluir