quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Eu digo sim

‎"Não se apaixonar profundamente equivale a não viver. Mas você tem que tentar, porque, se não tentar, nunca vai viver."

O que eu peço não é assim, demais, não é assim, impossível. Eu só quero alguém pra amar, pra sorrir, abraçar. Olhar nos olhos no fim dos dias e pensar que talvez seja real, talvez seja pra sempre. Eu aceito até mesmo a incerteza de um talvez, porque às vezes é preciso arriscar, sabe? Arriscar tudo, mesmo que isso signifique perder tudo, mas se ganhar será tão mais bonito do que se pode imaginar...
Então eu arrisco. Sem medo. Sem limites.
Porque é necessário, indispensável. Arriscar significa viver.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Aqui jaz um coração

"A vida é mais que um mero poema, ela é real." (Rosa de Saron )


Essa não é uma carta de amor, essas não são palavras doces de um sentimento bonito, aliás, o sentimento foi bonito, o mais bonito que já senti, sabe? E foi jogado fora de maneira tão cruel. A realidade não é, na maioria das vezes, o que nós queremos ver, mas não podemos ignorá-la todo o tempo. Eu resolvi enfrentá-la, assim, com a força que me resta, com a coragem que eu tenho, e só. Eu e a realidade que transforma-se rapidamente em pesadelo. Acontece que hoje eu acordei com a vontade quase imperceptível de escrever sobre essa realidade medíocre em que vivemos, e se essa realidade é dura e é amarga que posso fazer senão retratá-la da maneira mais sincera?
Tenho percebido que a cada decepção eu endureço um pouco mais, mas ainda consigo amar sem restrições, desde que eu me permita sentir. E eu me permiti sentir depois de tanto tempo e depois de tanto tempo me machuquei como antes ou talvez um pouco mais. Conclui que o amor é o sentimento mais lindo e ao mesmo tempo o mais ruim, e aprendi que amor sincero é só aquele que brilha no olhar de quem vê sua criança pela primeira vez, e que perde horas observando-a dormir. Amor sincero que eu com toda a alegria do mundo já senti.
Esse amor que tanto se diz sentir é ilusão, é a mais pura exploração, doação. E nele doa-se até o que não se tem, e muito mais do que se pode doar, e muito além do que se pode aceitar. O amor machuca, perfura, destroça, mas faz viver. É sentimento doloroso, desastroso, e é tão incrível amar... E perdoem-me essas palavras duras e amargas, que só existem porque o coração que as remete está ferido. Ferido e cansado, mas se recuperará, sabe?
Porque tudo se recupera, tudo passa. Tudo passará.