segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Esquizofrenia de amar.

"As pessoas são livres pra colocarem as suas malas nas costas e irem embora quando bem entenderem. Claro que dói, claro que faz falta, mas o tempo trata de recompor (porque substituir não dá) a vida da gente. Aquele papo de taquicardia amorosa, sabe? Mas sempre fui um esquizofrênico no amor." (Cadu Moraes)

Sabe o que mais me dói entre todas as dores? O desamparo, as palavras amargas direcionadas a mim, que já sinto meu coração estraçalhado, destruído em mil pedaços. Eu já tive várias pessoas, e todas elas de alguma forma foram especiais para mim, e entre todos esses corpos que eu toquei, nenhum fez comigo o que você, há centenas de quilômetros fez. "Fez", assim, no passado, porque agora não há ninguém que tenta me consolar, me curar. Estão todos presos dentro de seus próprios castelos de horror e dor.
Meus últimos dias foram lutas intermináveis, e cada sorriso sincero foi uma vitória - sim, houveram sorrisos sinceros, não sou assim, tão triste -, mas cada olhar perdido foi um punhal em minh'alma que vaga, sozinha, por ruas escuras e abandonadas. Já não me sinto vazia, estou preenchida por uma confusão tão grande e um querer-não-querer que tem me matado cada vez mais, pois a cada noite eu me deito esgotada, dando o máximo de mim para não pensar em você, para não ferir ainda mais minha dor já cansada, que não supera o amor, amor que chamei de maldito mas que nunca deixei de querer bem.
Agora já não sei. Preciso de algo que garanta que se eu fechar os olhos e apostar tudo nessa loucura, ao abri-los, não haverão lágrimas transbordando, lágrimas estas que já perderam o gosto de tanto chorar. Preciso de algo que me diga que dessa vez eu não amarei sozinha, que não haverá vazio ou distância que nos faça recuar.
Mas eu sei que é pedir demais. Pedir um pouco de coragem, pedir que amar não seja só sofrer, que não seja só buscar, que seja enfrentar, nem que seja com a força que não se tem.

18 comentários:

  1. A dor e sua habilidade de se mostrar presente de várias maneiras, em tantas faces e habitando tantos corações por motivos diferentes, mas sempre resultando naquele choro (contido ou não), naquela falta de vontade e naquele medo da próxima vez.

    Que a sua passe logo, que o vazio se preencha de sorrisos e dias doces!

    ResponderExcluir
  2. Gosto disso em todos os seus textos: você é incontida e transparece detalhadamente o que discorre neste teu coração. A forma como escreve é muito bonita, minha querida. Você tem talento! Apanhe sempre a caneta e nunca deixe de escrever. A caneta é sua alma e a tinta são as palavras. Escreves com a alma! E um verdadeiro escritor escreve com a alma, não importa se esta é dolorida ou alva como a neve, o que importa é o descarregar de sentimentos. Tudo que escreve é lindo! Beijos com carinho, Dani. Au revoir!

    ResponderExcluir
  3. Você me disse "adeus"
    Eu carrego mais essa dor no coração.

    ResponderExcluir
  4. Confusão. Foi isso que esse "você" lhe causou. Mas a Dani é forte, forte o bastante para quebrar as barreiras da confusão. É isso, a Dani é forte.

    ResponderExcluir
  5. Dolorido de tão verdadeiro. Mas sei que sua alma é forte porque ama.
    "Quem nasceu com a sensibilidade exacerbada sabe quão difícil é engolir a vida. Porque tudo, absolutamente tudo devora a gente. Inteira." [Marla de Queiroz]

    ResponderExcluir
  6. Essa pose de amor, nos consome dia a dia .
    Sei exatamente o que sente pois essa encruzilhada nao me deixa seguir ,esse amor mediocre !que me condena.

    ResponderExcluir
  7. Texto muito bom, a dor, apesar de tudo, se transforma em belas palavras...
    Não sei se é real sua dor, mas se for, que passe logo... Tão logo quando uma brisa nos dias quentes.
    Lindo blog, adorei!
    Beijo.

    Ju Shmidt

    ResponderExcluir
  8. Tudo lhe pode ser útil. Até mesmo a dor. Você faz arte com ela. Isso é motivo de alegria.

    ResponderExcluir
  9. " Pedir um pouco de coragem, pedir que amar não seja só sofrer, que não seja só buscar... "

    Amor não é sofrer, nao eh buscar, é completar, é entender, é saborar, é acalmar...

    pode ser masoquismo da minha parte, mas textos com dores, chega a ser tao sincero qe me arrepia...

    lindo texto dani. fiquei meio ausente, mais tenho texto novo, acontecimentos antigos qe consegui passar ( maisoumenos ) pro blog hahaha

    beeijos linda. se cuida

    ResponderExcluir
  10. Torço sempre para que esse vazio que te preenche passe logo, que ele se transforme em sorrisos, alegrias, amor.

    Beijos flor

    ResponderExcluir
  11. Sabia que uma coisa que me fez transformar meu "ser" foi ver a dor do Amor eu meus olhos e nas pessoas que aos poucos aprendi amar e ver ela sofrerem de uma dor que eu não poderia ajuda-las.

    ResponderExcluir
  12. Impressionante como senti minha vida sendo descrita. Me senti até mesmo cansada emocionalmente ao terminar de ler este post. E, sinceramente, amei todas as emoções que ele me proporcionou. Belíssimo!

    ResponderExcluir
  13. A luta incansável e perdida para encontrar alguém que nos dê a sensação de que tudo está bem - como alguém já deu.
    Sabemos que a a batalha está perdida, sabemos também que a dor é inevitável. Mas continuamos com as espadas na mão, brandimos os escudos e erguemos a cabeça.
    Mas a incerteza toma conta, e, de repente, nada é mais tão fácil. Nada é mais tão possível. Ele não está aqui, e sendo assim, melhor seria poder acolher-me em algum cantinho distante e só levantar quando toda essa dor cessar.
    Suas palavras me ensinaram isso.
    Você tem talento demais. Voltarei mais vezes. :3

    ResponderExcluir
  14. Tão, tão eu. Mas é verdade. Centenas de amores não são nada perto de um que é certo e mesmo depois que vai embora continua fazendo eco.

    ResponderExcluir
  15. Tem dores que passam com um afago...com um olhar...com uma palavra...ou com a leitura de um poema... mas a gente nao escolhe nossas dores...

    BeijooO*

    ResponderExcluir