sábado, 16 de abril de 2011

Just tonight.

"Eu não quero ficar sozinha essa noite."

Eu não quero o vazio de ter apenas a minha companhia, me sinto assim, tão pequena, frágil e indefesa. Não quero ficar sozinha essa noite, por mais que me doa precisar de outros corpos que não tenho, por mais que me doa o amor que eu quero e não sinto. Por mais que me doa ter de implorar por ajuda, eu não quero ficar sozinha essa noite, e não quero nenhuma vez mais, quero um corpo quente e amável que me abrace no escuro e que não deixe que eu sinta medo, esse medo que sempre senti, que me espreita todo o dia e na noite me envolve com seus braços frios. Quero apenas algo doce, para enfeitar a vida com cores e sabores que não irão me questionar ou criticar, que não me culparão por errar e errar e errar. Porque erro. Com toda a essência do meu ser: erro. E acho graça na possibilidade de acertar, talvez conseguir o que eu quero seja muito mais simples do que eu imaginei, mas ignoro o que torna tudo mais fácil. Eu gosto do complicado, do que machuca, do que aflige.
Então não me venha com soluções simples - o sofrimento faz de toda história algo mais emocionante de se viver, e chorar por noites inteiras não é algo que eu vá fazer, a minha dor eu vivo em silêncio, e poucas pessoas saberão ouvi-la, conheço duas ou três e elas estão tão distantes e perto de mim. Mas não me encontrarão se eu não permitir, não me salvarão se eu não consentir, estarão assim, ao meu alcance quando eu puder sentir de novo aquilo que eu chamo de falta.

46 comentários:

  1. Se eu te falasse que você leu meus pensamentos, seria pouco pra esse post. Gostei muito! :*

    ResponderExcluir
  2. Aquilo que chamamos de falta. Belíssimo texto.

    ResponderExcluir
  3. Lá vem você novamente, deixando-me sem palavras. E te pergunto: como você faz isso? Porque quem se prejudica afinal é você mesma, que não tem condições de receber um comentário decente.
    Mas mesmo assim te peço para continuar assim. rs
    Talvez esse texto tenha se encaixado com o momento que vivo agora, a falta que esta fazendo um corpo ao meu lado, uma companhia.
    Ficou muito lindo flor!

    Beijão

    ResponderExcluir
  4. estarão assim, ao meu alcance quando eu puder sentir de novo aquilo que eu chamo de falta.

    a melhor parte do texto..
    estava com saudades das suas palavras!

    ResponderExcluir
  5. Errar, sentir, sofrer. O indescritível e amargo querer que nos permite tantas sensações.

    ResponderExcluir
  6. A ausência sentida na falta da presença...

    Lindo!!

    Beijos Dani

    ResponderExcluir
  7. Outros corpos nos proporcionam um alívio momentâneo indescritível.
    "(..) O sofrimento faz de toda história algo mais emocionante de se viver."
    (Silêncio)

    ResponderExcluir
  8. Queria ter palavras pra te dizer o quanto amei esse texto. *-*

    ResponderExcluir
  9. Engraçado, eu sou tão independente que eu jamais senti falta de alguém, num tive medo de ficar sozinha, posso até inclusive pagar minha língua... mas... Eu já senti muita falta sim, de RUA, de sair de casa, de LIBERDADE... Isso tudo a parte...

    Aqui Dani é Juliana do Cacheada e cheia de onda...
    Eu to num projeto juntamente com uma amiga de levaradiante um sonho antigo que era falar sobre problemas femininos, o blog seria como um disconte no cara que fez ela sofrer, ela e todas nós mulheres, seria uma forma de ajudar e alertar outras mulheres, ensinar ou mostrar do que o amor é feito, o objetivo principal é mostrar que ao invéz de ficar em casa chorando pensando besteira e se consmindo de raiva é mais válido tirar sarro disso tudo, se você tiver algum dilema conhecer alguém que tenha uma história, que precise de conselhos, manda um email p gente, dá uma olhadinha no nosso primeiro post, pode mandar anonimo o e-mail mas é melhor que invente um nome um lugar, prar que as mesmas que escreveram possam identificar as histórias, faremos um vlog em vinculo com o blog porém só as melhores mais fortes histórias ir~çao pra lá, lembrando que nomes n serão divulgados, porém cada e-mail será respondido com muita calma e sinceridade.

    Beijos sentimentais!

    ResponderExcluir
  10. A solidão aflinge a todos e ao mesmo tempo complicamos e selecionamos quem queremos que esteja conosco nessa empreitada,afinal errar é humano e sim erramos complicamos,e nao fim somos nós !

    ResponderExcluir
  11. "Me sinto assim, tão pequena, frágil e indefesa."
    Você cheia de palavras lindas,é.
    Adoro tudo aqui.:*

    ResponderExcluir
  12. A vida é uma comédia que poucos entendem.
    Você pode encenar sempre que quiser. Você pode dar às pessoas a face que desejar.
    Ultimamente a solidão está em alta, as lágrimas, o insensível, justamente pela falta de amor próprio. Justamente pela promoção de outro ser humano na produção de felicidade.
    Somos dignos de nosso próprio sorriso.
    Abraços não tem poderes de nos colocar sono ou divulgar a paz.
    A admiração salva. E como alguém pode nos admirar se desejarmos ficar no escuro por noites eternas contando quantas vezes as lágrimas secaram?

    O mundo não explica que solidão é tão necessária quanto respirar.
    O individualismo é vital para que alguém possa olhar pra nossa vida e desejar fazer parte dela.
    Ali está a admiração!

    ResponderExcluir
  13. Eu tbm não quero...
    mas sabe que estou caminhando para que eu não passe mais as noites sozinha, tempo..

    Beijão dani

    ResponderExcluir
  14. Sinto algo muito íntimo a mim... Senti a falta, senti as cores e sabores...
    Sinto a tristeza aos meus olhos exposta em palavras, tornar-se bela....
    Muito prazer =)!

    ResponderExcluir
  15. Não têm de quê :)
    Uso mais este blog : http://reflectionofsoul.blogspot.com/
    Se quiser dê uma passadinha lá *

    ResponderExcluir
  16. Sentir falta...
    Falta maior é a nossa. A que sentimos de nós mesmos.
    Falta que congela a esperança, que sopra frio na alma e trás a tona uma sensação de vazio. Mas falta também é capricho, vontade, querer.
    Falta é psicologicamente, sentido. Instinto!
    Porém, a falta é desnecessária. O que nos pertence jamais deixará de ser nosso. <3

    ResponderExcluir
  17. Óh, http://lysfernanda.blogspot.com/2011/04/matematica-poetica.html


    Ficou interessante, beijos.

    ResponderExcluir
  18. E nessas noites um abraço quente é o melhor conforto que se pode ter!

    Boa semana DAni,
    Beijo meu:)

    ResponderExcluir
  19. Todo mundo precisa de alguém nessas horas. Quem gosta de ficar sozinha sempre? Ter um momento a sós com você mesma, são apenas momentos, mas logo depois você precisa de alguém, de um abraço carinhoso. É bom, esquenta o coração.

    LINDO!
    Beijinhos, se cuida s2

    ResponderExcluir
  20. Belo texto...acho que o medo e um pouco de solidão sempre acaba por chegar em pessoas que são realmente capazes de sentir.E como tu disse...só basta a nós mesmas deixar que determinadas pessoas tenham conhecimento disso.bjks vou seguir

    ResponderExcluir
  21. eu ando não querendo ficar sozinha nunca.... ;/

    ResponderExcluir
  22. ''minha dor eu vivo em silêncio, e poucas pessoas saberão ouvi-la, conheço duas ou três e elas estão tão distantes e perto de mim. Mas não me encontrarão se eu não permitir, não me salvarão se eu não consentir, estarão assim, ao meu alcance quando eu puder sentir de novo aquilo que eu chamo de falta.''

    A dor quando no seu maior adjetivo não se faz mais pelo gritar incessante da alma, mas pelo silêncio imedido da nostalgia e saudade.
    Não sei como dizer, até me fogem as palavras. Mas seus textos me descrevem por inteira.
    E quem sabe esses corpos quentes estejam perto, só precisamos vê-los, de alguma forma senti-los.

    Obrigada pelo carinho, um beijo enorme e cheio de carinho de sua leitora bobinha.

    ResponderExcluir
  23. Estava pensando comigo...quantas noites ainda faltam? enfim,bela.

    abraço !

    ResponderExcluir
  24. Por muitas vezes, é ficarmos com nós mesmo!

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  25. Nossa....seu texto falou comigo!Lindo!
    Beijos**

    ResponderExcluir
  26. me identifiquei tanto... :~

    Lindo Dani!
    Beijos

    ResponderExcluir
  27. "O sofrimento se me faz belo diante dos olhos..." eu escrevi uma vez. Entende o que quero dizer quando me identifico com você? rs

    ResponderExcluir
  28. pessoas são assim. elas não querem ficar sozinhas, elas não gostam de nada fácil e, principalmente, elas erram. erram o tempo inteiro.

    gostei do "acho graça na possibilidade de acertar".

    ResponderExcluir
  29. Noites solitárias tem me machucado ultimamente. Seu post disse exatamente o que eu tô sentindo, lindo! :*

    ResponderExcluir
  30. Você, definitivamente, me encanta."a minha dor eu vivo em silêncio, e poucas pessoas saberão ouvi-la (...)"

    Gostaria de poder sentar perto de você nessas noites, para falarmos sobre a vida, sobre o mundo, ou apenas para lermos juntas alguma coisa que nos agrade, ou ficarmos em silêncio pensando. Pensando parecido, porque é como sinto que pensamos. Estou ansiosa para escrever sua outra carta - o mais perto que chego de você, afinal - mas a chuva já dura mais que uma semana aqui, e quero enviar sua foto prometida. Isso é estranho na minha cidade, onde sempre faz sol, então creio que passe logo. Ou assim espero, está um caos.

    Um beijo, e sinta-se abraçada.

    ResponderExcluir
  31. Daniela, o que ainda termos alguém ao lado, se por dentro há falta? Primeiro, o dentro precisa não se sentir só, pois assim, qualquer assim a essência da vida com ausência não trará abismo.

    Abraços

    Priscila Cáliga

    ResponderExcluir
  32. Seu texto me fez lembrar outro, que dizia que a vida se assemelha à aprender a tocar violão. No início, é difícil, dolorido. Mas, seus dedos vão se calejando, pela persistência, pelo erro, pela dificuldade, até que eles ficam firmes, formando a melodia correta e perfeita, assim como viver. Não é simples, fácil ou mesmo possui a felicidade como companheira eterna. Mas, é necessário persistir, se há o desejo de ser melhor e de produzir novos sons. Belíssimo post. Já te sigo.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  33. Como dizer adeus sem lágrimas?
    Se não fosse tecidos laços
    Se fosse leviano
    Foi real
    Extingue a força
    Corpo chama
    O tempo foge
    Não seremos o que somos hoje, amanhã

    ResponderExcluir
  34. É exatamente o que ando sentindo, aquela falta, a ausência, uma saudade do amor voltar. Não é mesmo? Você escreve muito bem, me sinto honrada em tê-la como leitora.
    Beijos

    ResponderExcluir
  35. "Eu gosto do complicado, do que machuca, do que aflige."

    Gostamos de nos prejudicar, e por mais bizarro que soa isso, somente nós mesmos conseguimos nos entender, saborar a dor e a falta no nosso proprio silencio..

    Adoros seus textos menina.
    me identifico mto com eles.

    tem texto novo no meu. :D

    beijos

    ResponderExcluir
  36. o sofrimento é um professor esquisito, mas eu gosto dele.

    ResponderExcluir
  37. Dani, sou eu que tenho que agradecer pelo teu último comentário, lá.
    Saber que, de uma forma ou de outra, eu fiz alguém abrir um sorriso e relembrar de uma segurança interior que às vezes a gente esquece que existe, é uma das maiores recompensas por ainda estar caminhando com o blog, apesar dos pesares.

    Que a sua felicidade também continue sempre resplandescente. E que você encontre algo ou alguém para conseguir transformar em luz o que é escuridão, ou apenas para te abraçar nessas noites sombrias. :*

    ResponderExcluir
  38. Denovo agradeço por tua visita e fico feliz por ter gostado de meus escritos! Os teus são ótimos, este me revelou alguém que sim, erra, mas se mostra do avesso, transparente e sem medo ainda assim! bjs moça, seja sempre bem vinda!

    ResponderExcluir
  39. Sete comentários respondidos.
    Entre Marés.

    ResponderExcluir
  40. Solidão, segurança e sofrimento. - ótimos elementos!
    MINHA CLARICE!

    ResponderExcluir