sexta-feira, 25 de junho de 2010

"Se eu pudesse escolher outra forma de ser, eu seria você."

"Criaste em mim uma forma bonita de sentir, tão forte que chego a fechar os olhos, não posso enfrentar. Quando não estou contigo, sou só um corpo vazio vagando pelo mundo. Um corpo um pouco surrado, marcado e cansado, mas um corpo que, mesmo vazio, clama por ti. E não desisto, porque desistir seria deixar-te para trás, e isso não faço.
Se voltasse, amor, para o meu lado, entregaria à ti todo o meu amor, o meu peito insaciado quase não contém o coração pulsando forte por dentro. Tomaste toda minha calma, levaste toda minha paz. Agora sou só uma lembrança apagada do que um dia você me tornou. Juraria sob todas as estrelas do céu o amor que hoje eu sinto, clamaria pelo teu alento, aceitaria qualquer sofrimento, para estar contigo, para contigo permanecer.
Amor, venha correndo ao meu encontro, abrace-me forte contra o teu peito, proteja-me da loucura que é essa distância que insiste em entre nós ficar. Cuide-me, seja minha armadura enquanto serei o corpo que te sustenta. Diga-me o que eu preciso fazer para ter-te outra vez, não deixarei o mundo outra vez nos afastar. Diga-me, e eu prometo ser bem mais do que um dia eu neguei.

[...]"

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Again.

Por horas encarei esse teto vazio, sem estrelas, procurando uma maneira de te encontrar. Por horas vaguei pelas ruas, sozinha, querendo e não querendo te encontrar. Busquei em cada pedacinho de mim uma esperança, um recomeçar. Seja lá o que acontece comigo quando eu te vejo passar, seja lá o que eu sinto quando contigo não posso estar. Só sei que é tão forte quanto a pior dor dos meus pensamentos, lembranças vem me maltratar. Punhais perfuram o meu peito, a dor vem me visitar.
Seus olhos jamais esqueço, seu amor é ainda tudo o que eu tenho, sua força ainda é meu alento e sua voz eu espero um dia escutar. Não me deixe só quando nossa música tocar, porque para seu amor eu tenho tudo, desde o meu sangue até a essência do meu ser. Não me deixe só quando o tempo passar e o vento levar pra bem longe tudo o que eu já quis contigo partilhar.
Sem você, amor, a tempestade vai congelar meu ser por dentro, e o meu coração voltará a cessar. Não deixe que o ritmo se perca, que a saudade te impeça de tentar. Não me esqueça por mais que você queira, não saiba o que é a dor de não amar. Hoje, amor, eu sinto a sua ausência preenchendo o meu peito, eu sinto todo um sentimento que antes parecia já não existir. Por você eu tive uma segunda chance, e até aceitaria a terceira, se você viesse me aguardar... Quando eu chegar, carregada por asas de sonhos que antes não me visitavam, só pela vontade de te reencontrar.
Você foi pra mim um reinício, você fez pra mim um novo caminho, uma estrada por onde posso caminhar. Eu só quero que esteja comigo por essa história, crie comigo o roteiro de uma vida mais bonita. Não solte minhas mãos, não deixe-me distanciar. Crie comigo um novo abrigo onde a chuva não possa nos alcançar.

"Quais são as coisas e as cores pra te prender? Eu tive um sonho ruim e acordei chorando, por isso te liguei..." [Cazuza]

terça-feira, 8 de junho de 2010

Pulsante.

Você tem o encaixe perfeito das minhas mãos, é o preenchimento feito pro vazio do meu coração. Pulsante. É como um jogo de cores, e o que fica é uma lembrança bonita de tudo o que se foi,  naufragou em um mar de saudade, afogou-se juntamente com minha alma. Pulsante.  Como um relógio, como uma bomba prestes a explodir. Foi e é o que me faz sorrir. Mesmo nas recordações pequenas e quase esquecíveis, mesmo nos momentos em que você me fez sentir. Tudo e nada. Pulsante. Pulsante como a vida que renasce à cada primavera, como a saudade que não passa, que às vezes distrai, parece diminuir, e de repente volta com tudo, dissipando toda e qualquer esperança. Sua falta é como a flor que não renasceu, morreu em cinzas e assim permaneceu. É o céu que não amanheceu, eternizou a escuridão. E alguém me diz: “Encontre o seu caminho!” Mas todos sabem que eu tenho medo de escuro, caminho nenhum vai me guiar, estrada nenhuma vai se formar enquanto a Lua continuar presa atrás dessas nuvens escuras, densas. Estrela nenhuma posso ver e então escrevo pelo vazio que me consome, pela solidão que me envolve. A chuva começa a cair lá fora, aqui dentro ninguém pode me alcançar, nem mesmo a serenidade que me fez um dia despertar. Sou paz desde que me encontrei sozinha. Quatro paredes me protegem do frio, do vento e dessa água gelada a molhar tudo por aí. Quatro paredes não podem me proteger de mim. Quatro paredes são totalmente inúteis quando a ventania acontece por dentro, quando o terremoto é permanente, os furacões devastam sem pensar. Fenômeno esse de não te encontrar... No fim dos dias, início das noites. Eu sempre precisei tanto de alguém, e um dia tive você, no outro perdi-me por completo. Espero você voltar, espero que minha espera não seja em vão.
São três horas da manhã e abrigo nenhum é capaz de me aquecer, já passou da hora de esquecer e há uma solidão crescente em  meu ser. Eu preciso que saiba, assim como espero que lembre. O sentimento aqui não deixou de existir, o sofrimento também não deixou de renascer. Você sempre soube que minha paz é passageira, assim como o sorriso que por vezes é estampado em meu rosto. Esse brilho nos olhos é um problema a ser resolvido, lágrimas não posso mais controlar. Então volte, volte pro meu abraço, seja mais uma vez meu esconderijo. Dessa vez eu prometo ser mais forte, agir como uma pessoa adulta que nunca fui, nunca serei.
Sempre disse-lhe que sou uma criança, eterna criança. Mas é engraçado como o mundo quis me provar o contrário, me colocando em situações de gente grande, onde só sobrevive quem viver. E eu vivi, realmente vivi. Mas sinto falta daquela calmaria que era somente ouvir a batida do teu coração. Pulsante. Não dá pra esquecer. Quando sua alma é marcada por alguém importante, simplesmente é impossível deixar pra trás.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

"Quem só acredita no visível tem um mundo muito pequeno."

Cuide-se, proteja-se do mundo, de sua força, seja indestrutível mais uma vez. É como um adeus disfarçado, cheio de esperança. Chega a ser bonito de se ouvir, mas tão cruel quanto aquelas palavras que não devem ser ditas se não forem sentidas. Porque palavras são sentimentos, e sentimentos são raros.
E a ausência é como um relógio tic-taqueando por dentro, não te deixa esquecer que o tempo passa e a saudade não acaba, só cresce e cresce. É como uma bomba prestes a explodir, e você não sabe se prefere o fim ou nada, porque esquecer é quase tão doloroso quanto perder. Não dá pra imaginar uma vida sem um por quê.
E o preenchimento que não vêm é como a suspeita do vazio que não nos deixa, é forte como uma tempestade e deixa tantas marcas quanto uma lembrança. Lembrança bonita, tão bonita que parece perfurar o peito, sua liberdade é destinada ao nada, criando uma sensação terrível à quem teme. E o que teme?
Olhos cruéis-impiedosos. Flores murchas-secas-cinzas. Sua esperança é nostalgia. Sua força é rotulada, seus roteiros são incompreensíveis. Já que seu destino é somente viver. Repita e viva, menina. Sua alegria está na simplicadade do existir, distinguir. Manifeste-se entre o campo de cores e ventos que criam fragâncias. Liberte-se e seja essencia, seja coração e alma. Crie asas e seja também o impossível. Qual é o tamanho do seu ser? Não limite-se ao chão, não debruce-se no parapeito da janela, seja o ar que por ali renasce. Seja em si, uma canção. O inexplicável é mais atraente do que o que se pode ver, o que não existe é sempre mais bonito e cores também são mais bonitas aos olhos de quem sente.
Os livros mais belos são os que nascem dos nossos dedos e pensamentos, as frases de grandiosidade são aquelas que residem em nosso interior. E as palavras que nos encantam não são nada comparadas ao brilho dos olhos que carregamos. Acredite, acima da vida e da morte, acredite. Existe sempre uma invasão de sentimento, sem consentimento, existe sempre algo que abala o coração, devasta a alma. Mas não se iluda com esse pequeno pensamento, é coisa passageira, aquilo que fica nasce no piscar dos olhos que encontram. E do coração nunca sai, torna-se marca da alma, na alma. E na eternidade fica, mesmo que se desgaste, mesmo que o tempo passe. O que na eternidade fica, para sempre permanece. Sem explicação.

"Quem só acredita no visível tem um mundo muito pequeno."
[Caio Fernando Abreu]

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Talvez seja você e eu.

Dopei-me com notícias trágicas, loucura vem me contrariar. Gostaria eu da saudade de te encontrar, mas o que fica em mim agora é mais forte, corrói por dentro como fogo e aço na pele. Salve-me com seu conselho e seu alento, seja o meu abrigo mais uma vez. Resguarde-me do meu sofrimento involuntário. Leve-me para perto de você, onde o céu seja o único acima de nós e o chão elevado nosso aliado fiel.
Que a sabedoria dos seus olhos encontre a magnitude plena do meu ser. E busque, até o fim dos dias, uma maneira de me proteger.
Amor, seja meu esconderijo nos dias chuvosos, seja meu coração de batimento constante e inesgotável. Seja a nova essencia que me preenche. Preciso de você. Hoje e amanhã, depois e sempre.
Quero sua paciência inerte na minha confusão.
Preciso de sua companhia, sua presença. Porque sua ausência é como gelo em contato com minha pele já fria. Se encontro seus lábios entre o caminho de abrir os olhos e te enxergar sinto uma fé imensa. Na vida. Esperança a me iluminar.
Porque é só por você que continuo, e sua dor também só faz me maltratar, quando no medo intímo de não te ter um dia me pego a chorar. Lágrimas despercebidas, como velhas amigas a me visitar.
E chego ao extremo de meus abismos, minha mania doce de me entregar. Cair e desistir, como quando era forte sorria e agora fico simplesmente a olhar, são desencontros breves, a sanidade se corrompe, e como um pássaro machucado, tento voar.
Não importa. Por mais que os dias passem minha paz é te ver chegar, seus braços prontos para me acolher, o encaixe perfeito, a certeza do destino. Sua risada no meu sorriso, sua falta na minha compreensão. Tão exato, tão completo. Talvez seja esse o momento que passei a vida a esperar. Talvez seja você e eu.
Mas sei que sua presença já não é opção, e sim necessidade. E esse sentimento cresceu enquanto os dias passaram, longos e gelados, sempre longos, sempre gelados. E o seu abraço foi sempre meu abrigo quente, esconderijo certo, incerto era somente o tamanho do seu poder.
Lembro que um dia eu pedi à você que me protegesse de tudo, de mim. E você disse sim, eu não vou te abandonar nunca. Agora já faz tanto tempo, e você ainda está aqui. Será possível mesmo que a vida é tão bonita assim de se viver? Quero a força do tamanho da distância que um dia nos separar, porque assim vivo por você, porque assim te encontro em meus sonhos em noites estreladas, enluaradas. Assim penso em você, sem que seja necessidade ou obrigação, simplesmente penso e sinto e você torna-se o mundo dentro de mim.