sábado, 27 de novembro de 2010

The story of a great love.

Eu não seria tão bom nisso como você, ou como qualquer um deles. Simplesmente pela razão de ser quem sou, e você não aceita. Não pode aceitar. Estaria fugindo dos seus padrões de conjugação do verbo amar, se apaixonar. Eu me apaixonei por você no momento mais impróprio, na dor mais latejante. E desde então meus olhos nunca mais se fecharam para a escuridão de minhas pálpebras, mas somente para o teu olhar grandioso a me fitar. Somente para essa minha paixão desenfreada, que me preenche de forma tão completa que me faz duvidar de que eu possa voltar a ser, um dia, eu mesma sem você.
Porque cada partícula do meu corpo grita silenciosamente pelo seu nome. E eu já não seria eu mesma sem você... Seria um ser qualquer, que vive, mas que não ama, e sendo assim, logo, só existe.
O que seria é uma simples possibilidade de futuro. O que fui é uma lembrança rala do passado. Mas entre o passado e futuro, existe esse momento que chamamos de agora, e nesse momento, sou um espelho que busca gravar cada movimento seu, cada palavra dita ou calada, cada gesto feito ou contido, cada sentimento vivo ou ignorado. Porque a dor que te toca é só mínima perto do que eu sinto por não ter você. E qualquer explicação para isso seria basicamente insuficiente. Pois esse amor não se diz, não se escreve, mas se sente. E eu sinto, definitivamente.
Sinto a dor à cada batida do seu coração. Sinto a rejeição a cada encontro marcado ou não. Sinto saudade do que não existiu, sinto tanto, que sou só o sentir, e nada além.
Quero te mostrar o mundo visto de outros ângulos, invada meus pensamentos, olhe como tudo lembra o seu nome, o seu rosto. Perceba como as cores que eu vejo lembram sempre os seus olhos, perceba como todas as músicas me levam a você. Perceba, de uma vez por todas, que isso não é só uma idéia vaga de sentir. Não é só um desejo de te proteger, mas sim uma necessidade de saber se estás bem. De enfrentar a dor que te queima, te corrói, te destroça. De cuidar dos ferimentos que te fizeram tão impiedosamente.
Eu só preciso de uma palavra, um sinal. Algo que transpareça suas verdades e seus medos. Que seja sincero. Mas que não seja como um punhal em meu peito, e sim como uma brisa no meu rosto... Que alivie a dor que eu sinto, que alivie a dor que você sente.

"Estas alegrias violentas têm fins violentos falecendo no triunfo, como fogo e pólvora que num beijo se consomem."
(Romeu & Julieta; ato II cena VI)

Baseado em uma história real, mas não minha.

32 comentários:

  1. O amor é efêmero. E conta isso não se pode lutar.

    Meu beijo!

    ResponderExcluir
  2. Muito intenso.
    Sem contar na citação de Romeu e Julieta.

    beijão.

    ResponderExcluir
  3. simplismente me encanto com tudo que você escrevi.

    beijos.

    ResponderExcluir
  4. Alanna disse tudo com a palavra "intenso". Deixo por aqui, porque nada mais posso acrescenter - talvez lindo, claro, mas intenso é ainda melhor e mais descritivo.

    ResponderExcluir
  5. "Simplesmente pela razão de ser quem sou, e você não aceita. Não pode aceitar. Estaria fugindo dos seus padrões de conjugação do verbo amar, se apaixonar."

    Eu relutava em crer em certos tipos de amores, mas hoje aprendi que cada um ama diferente. Até porque o meu amor não é dos mais normais ou constantes. A gente aprende, sempre..

    =*

    ResponderExcluir
  6. Menina intensa
    Sempre apaixonada
    sua juventude é bela
    Passa, viu?
    Segue a sim
    Beijosssssssssssss

    ResponderExcluir
  7. É isso, sempre falta algo, que nem sempre sabemos o que é, mas assim mesmo é bom, quero mais.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  8. Não creio que tivemos o mesmo final, a mesma idéia O_o não tinha visto esse post ainda ... muito lindo como sempre, amo seus textos. Parabéns

    ResponderExcluir
  9. Ah o amor...

    Esse sentimento intenso, completo e ao mesmo tempo parece meio incompleto.

    Apaixonamos, amamos e queremos o tudo e o nada, queremos apenas a felicidade daqueles momentos...

    Lindo, lindo e lindo querida!!^^

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. já pesnou que coisa chata seria se todos os amores fossem iguais?

    ia ser uma merda (verdade bem dita)

    claro,existe alguns amores que devem ser ignorados, logo sentidos, fortemente ignorados.

    ;)

    ResponderExcluir
  11. eu ainda aguento .. hehe .
    até mais ;*

    ResponderExcluir
  12. "O que seria é uma simples possibilidade de futuro. O que fui é uma lembrança rala do passado. Mas entre o passado e futuro, existe esse momento que chamamos de agora, e nesse momento, sou um espelho que busca gravar cada movimento seu, cada palavra dita ou calada, cada gesto feito ou contido, cada sentimento vivo ou ignorado."
    Muuuito bonito
    beeeijos

    ResponderExcluir
  13. Que texto lindo, cheio de sentimento. Amei.


    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Por mais que as vezes doa
    sempre vale a pena amar.
    Linda a frase de Romeu e Julieta.

    Mil beijos

    ResponderExcluir
  15. Este é o amor, que queima e transborda de dentro da gente.

    ResponderExcluir
  16. nossa que amor, quente e pronfundo !
    sempre devemos amar msm que no final sabemos que nao vai dar certo, mas aproveita deixa o amor fluir em vs, é melhor sentimento !
    beeijos

    ResponderExcluir
  17. "Sinto uma saudade do que não me aconteceu. Sinto os teus instintos tão fortes quanto os meus. Sempre que nós estamos juntos, é você quem liberta o mal de mim" Tomara que se tenha a oportunidade de sentir e ver todo o mal ir embora...

    ResponderExcluir
  18. tão amoroso teu texto chérrie *----*
    gosto demais daqui sabe? muito meeesmo!
    tem post novo no meu canto, dá uma passada lá!

    ResponderExcluir
  19. você fez esse texto pra mim ? kk, porque não é possível, me indentifiquei em cada frase, em cada verso que ia se formando diante dos meus olhos.
    mto lindo, mto msm.

    ResponderExcluir
  20. "E qualquer explicação para isso seria basicamente insuficiente. Pois esse amor não se diz, não se escreve, mas se sente. E eu sinto, definitivamente."

    O amor é isso mesmo, apenas sentimos e não conseguimos descreve-lo. Esse texto ficou sensacional, sem dúvidas entrou pra minha lista de preferidos. Admiro muito você e a sua capacidade absurda de escrever tão bem.

    Beijos

    ResponderExcluir
  21. E desculpe a ausência aqui no blog, tu sabes os motivos.

    Adoro você!

    ResponderExcluir
  22. como todos aqui . liiindos Dani
    e fazia tempo q não vinha aqui . estou de volta ;**

    ResponderExcluir
  23. Romeu e Julieta... só de ver o nome já me lembra o profundo amor, que um dia, infelizmente, tem que acabar. Mas a felicidade marca nosso coração não é mesmo? E isso nunca mude.

    ResponderExcluir
  24. Que liiindo *_*
    AAH,como é lindo escrever e tentar entender pelo menos um pouco, sobre o tão inevitável amor.Nos faz sentir taantas coisas, tantos sentimentos :)
    Eu amo escrever e ler sobre ele.Sempre <3
    -
    Linda história *_*

    beeijão :)

    ResponderExcluir
  25. amor só devia existir se fosse correspondido...

    beijo!

    ResponderExcluir
  26. A gente sente mais dor quando dói neles. Mas eles são capazes de sofrer como nós? Acho que pra eles pouco importa. Às vezes duvido que eles possam amar... Mas nada é impossível, né? rs

    ResponderExcluir
  27. Concordo com a "So sad". Amor só devia existir se fosse correspondido. Problema é quando ambos amam, mas a dor é maior. Beijo.

    ResponderExcluir