terça-feira, 16 de novembro de 2010

Onze minutos.

Fecho os olhos em busca de qualquer lembrança que me traga uma história, uma história como aquela que vi nascer e hoje vive tão perto de mim. Uma história que não posso deixar acabar. Não falo das minhas paixões desenfreadas ou da intensidade que por instantes amo alguns seres. Mas dessa certeza de que tudo irá acontecer exatamente como deve acontecer.
Nada me vem à mente, se não palavras antes já ditas ou sentimentos mortos que revivem por segundos e voltam ao seu estado imóvel. Como se estivesse prestes a explodir.
E o que poderia ser dito, diante dessas vozes que me envolvem, nas quais apenas uma se torna verdadeiramente audível. E são palavras ditas do mais profundo de sua alma, palavras que clamam, imploram por serem ditas. E entre lágrimas e soluços e suspiros, ganham vida. E a partir do momento em que vivem, tornam-se eternas na lembrança. Lembrança dos olhos que vêem, da alma que sente, do coração que pulsa. E tudo transforma-se em um só ser. Resultando no que chamamos de amor.
Momentâneo, talvez... Passageiro...
Mas, amor.

Frio. Dentro. Fora.

21 comentários:

  1. Desculpa, eu havia feito um comentário bem melhor que este, anteriormente, mas com um esforço muito grande eu o perdi (não queria saber como), mas lembro-me de dizer que cada momento nos marcar de alguma maneira, com alegrias ou tristezas. Mas cabe a voce escolher o que quer levar do amor, hoje!
    Com carinho...

    ResponderExcluir
  2. Perfeito... Você escreve muito bem!
    Já te sigo impressionado!
    Bjkss

    ResponderExcluir
  3. O amor é efêmero e isso dói.
    beijos.

    ResponderExcluir
  4. O amor, nas suas milhares de formas, mas seja amor, passageiro, momentaneo, mas amor.
    Lindo o texto, bjs.

    ResponderExcluir
  5. E amor.sempre profundo.

    bjos dani ;)

    ResponderExcluir
  6. Um texto lindo, no qual a melancolia se faz presente nas entrelinhas.

    BeijooO'

    ResponderExcluir
  7. E o que o amor não faz, não é? Seja passageiro ou não, ele sempre é o amor - irreal e, bem, ele mesmo. Lindo, Daniela, você escreve muiiito bem ♥

    ResponderExcluir
  8. Muito obrigada pelo seu bonito comentário. O seu texto esta lindo .

    ResponderExcluir
  9. eu também admiro, Muito!
    Obrigada, e o seu texto está muito bonito :)

    ResponderExcluir
  10. está tão lindo!
    vou seguir!
    beijinho*

    ResponderExcluir
  11. Lindo aqui, adorei.
    Seguindo-te!

    Beijo meu.

    ResponderExcluir
  12. Amor é sempre amor, mesmo que distante, mesmo que confuso, mesmo que estranho.
    E as lembranças permanecem pra sempre!


    Beijos flor

    ResponderExcluir
  13. Hey ^^

    Lindo texto, o amor em suas variáveis formas, ouvir cada palavra intensamente.

    Xoxo

    :: Loma

    ResponderExcluir
  14. Ei minha querida!!

    Coisas do amor, amor que machuca e o que cura. Amor que envaidece, amor que flutua... Apenas amor e todas as suas histórias!

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. amor passageiro mais que ficará sempre .;
    Dani eu sei completamente que tds seus comentários pra mim tem td razão e estão certissimos, mais quem disse que consigo pensar mais em mim do que em quem amo. O que deveria ser feito né.
    um bjão e obrigada pelos coments verdadeiros como sempre.

    ResponderExcluir
  16. o amor é tão complicado né
    tem momentos que ele é tão intenso e tão perfeito, que enlouquecemos, mas tem momentos (a maioria deles) que ele é tão dolorido e tão cruel que praticamente morremos
    adorei seu texto
    bjs

    ResponderExcluir
  17. haha ' eu também não vejo a hora de viajar e acampar com o povo lá da casa de oração, mas será só em fevereiro ...
    rsrs . mas antes de acampar lá, terei finalmente minhas férias e poderei curti-los todos os dias.. ahsuahsua ' beeijo .

    ResponderExcluir
  18. Começo a ler seus textos com certa agonia. É que eles me causam sensações que palavras não explicam. Quer dizer, explicam, mas reconhecê-las me dá medo.

    Quando te leio, eu percebo que amo.

    Teu espaço é um dos mais belos que já vi. Tua escrita é uma das quais mais me identifico.

    ResponderExcluir
  19. Então já somos ao contrário. O meu stor é maior seca.

    ResponderExcluir