sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Depois do fim.

Nessa noite tumultuada, sinto-me completamente vazia por dentro, me encontro prensada à uma parede por um corpo quente um pouco maior, mais pesado e mais forte que o meu. E não me deixa sair, mas se eu pedisse, deixaria, se eu intercedesse por mim, venceria. Mas algo me faz permanecer aqui, quieta, inativa. Talvez a dor do ato, da realidade em si tomando conta de mim muito rapidamente. E um grande flash de memórias invade meus olhos, encontrei-me cega, presa à uma parede fria e um corpo quente, que não queriam exatamente nada de mim, somente o momento finito.
Talvez eu não seja assim, talvez não tenha nascido para alimentar-me de momentos. Mas sei sobre a solidão que me atormentou desde algumas palavras que saíram da minha boca forçadamente, a minha voz engasgada e fraca negou-se a dar-lhes som. Mas foi dito, foi necessário e o fim tornou-se existente.
E desde então sou um pouco vazia, como se o meu peito já não pulsasse da mesma forma. Não sinto meu coração batendo dentro de mim, mas bate, eu sei que bate. Sei porque estou viva, e isso não significa que vivo. Mas significa que bebi um pouco de mais, dancei um pouco demais e agora a parede parece me abraçar, por mais quentes que sejam os braços que me envolvem, o frio do concreto me afetam muito mais.
“É em vão”, penso em dizer. “Nada é capaz de me aquecer, sempre fui assim, meio fria, meio intocável. Não adianta, não perca seu tempo comigo.”
Mas não digo, calo-me e olho para o céu. Tão estrelado, brilhante. Dá até pra imaginar a grama sob o meu corpo e um pouco de café. Passaria a noite inteira tomando café e olhando as estrelas. Não dormiria até que o Sol iluminasse o céu completamente. O amanhecer é um fenômeno assim, tão bonito. Porém, não posso lembrar. Não posso, lágrimas escapariam pelos meus olhos, inevitavelmente. E eu choraria como uma criança pequena e assustada. O que sou.
Esse corpo perguntaria o que acontece, e eu diria: “Nada não”, e então não sei o que acontece, porque isso jamais antes aconteceu, e nem acontecerá, engulo o choro. Sou mais forte do que uma vontade involuntária de me derrubar. Mesmo que eu caia num abismo de escuridão, o mundo não precisa saber de minha dor. Chorarei no meu mais puro silêncio interno. E nada as pessoas poderão dizer.
Fecho os olhos com força, vou acordar, vou acordar. Não acordo, o céu ainda está aqui, e esse corpo pegajoso também não me abandonou. “Ei, me da licença, um pouco. Eu preciso sair daqui, preciso de ar, não que você tenha me tirado o fôlego, mas agora estou fugindo. De você, de mim, de todos. Não diga pra onde fui, porque você também não sabe, mas finja que nunca me viu. É tudo o que eu peço. E, por favor, não desonre o meu nome.”
Saio em passos errantes sobre os saltos um pouco altos demais pra mim. Ando um pouco, mais um pouco, não sei pra onde vou, nem onde cheguei. Mas de repente, acordei num lugar tão vazio que me identifiquei, talvez eu ainda esteja dormindo, as estrelas desapareceram para dar espaço a uma única e intensa luz. E agora choro ainda mais, como se nunca o tivesse feito antes. Como se nunca mais fosse fazê-lo. Estou sozinha e vazia, novamente.
Minha única companhia é essa Lua que reflete a luz do Sol como um espelho. Isso me faz pensar na aparência que eu devo ter nesse momento. A maquiagem borrada, os olhos muito inchados, o cabelo desgrenhado. Enfim, um simples desastre. E é assim que a festa termina, sem ao menos ter começado.

Nada auto-biográfico. Fiquem tranquilos, rs.

47 comentários:

  1. acredita que sozinhos nao somos nada! :)

    gostei do post

    ResponderExcluir
  2. Bem ameii muitoo aki. =)
    bene aki mostra muitas coisa q depois do Fim...
    naum tem mais oo q correr atrás dos seus Sonhos*
    bene ameii aki ...
    bjim*
    da sua Amiga d ♥.
    hehehe'

    ResponderExcluir
  3. Eu não vou recomeçar, apenas continuar, mas por vezes o melhor mesmo é isso. Não no meu caso ...

    ResponderExcluir
  4. dani vc deve estar estar mt cansada, ou preocupado com algo para se sentir assim.
    eu quando me sinto com vontade de fazer nada ou nem sentindo nada é insegurança, acho que descobri meu problema.
    bjs *-*

    ResponderExcluir
  5. Um sonho no meio da nossa realidade. Pensamentos que para alguem e mum momento é real.
    Que a dor de uma festa que ainda nao começou e ja terminou nunca lhe invada por muito tempo.
    abraço
    :)

    ResponderExcluir
  6. Dani
    Ainda bem que não
    foi auto biografico. ☺
    Você é uma escritora nata.
    Beijos e saudades

    ResponderExcluir
  7. Olá Daniela,
    Belo texto! Parabéns.
    Abração.
    PS: Obrigado pelo comentário no meu Blog! :)

    ResponderExcluir
  8. Como eu ja te disse, esse texto ficou perfeito, algumas partes dele ate combinam comigo, mais melhor deixar em off ne, mais tu sabe quais! rs
    Simplesmente perfeito amiga!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. escrito com a alma Dani , liiindoo *----*

    ResponderExcluir
  10. Mais do que a alma, mais do que seu próprio ser...
    é um vento impertinente...que arrepia sua pele;;;


    PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  11. Daniela, tudo vale a pena quando a alma não é pequena, como disse Pessoa. O que não nos rende boas festas rende-nos boas postagens. [sorrio] Abraço!

    Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com (atualmente com “O Rei Dos Picaretas”)

    ResponderExcluir
  12. Querida, poderás sempre andar pouco...vc tem inteligência, seus poucos passos serão sempre para o destino(?) certo!

    Força e fé!

    Axé!

    ResponderExcluir
  13. Nem sei o que falar pra você, você tira minhas palavras com esses textos perfeitos. Quando eu crescer quero ser que nem você, ok? Obrigada e beijos -N Mas eu quero mesmo ser que nem você ):

    Amei

    ResponderExcluir
  14. Eu fico até sem fôlego por cada linha dessas.. bate aquela sensação do vazio que senti por ela em cada entrelinha.
    A festa sempre acaba, e todos esperamos por isso... embora os finais venham muita das vezes antes do começo esperado.

    Lindo. Lindo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. "Não perca seu tempo comigo", "don't waste your time on me" seu texto me fez pensar na música I miss you do Blink 182.

    ResponderExcluir
  16. nossa muito bom e intenso seus textos
    achei bem interessante
    gostei do blog
    bjs

    ResponderExcluir
  17. Oii Dani, tudo bom contigo?? Que saudades daqui... fazia um tempinho que não passava por aqui (rsrs) Beijos, passa la ;DD

    ResponderExcluir
  18. "Chorarei no meu mais puro silêncio interno. E nada as pessoas poderão dizer."

    Suas personagens precisam de manhãs de sol, algo no que valha a pena viver...

    Beijos, Charlie B.

    ResponderExcluir
  19. Belo texto. Muito bem escrito. Adorei.

    bjs flor

    ResponderExcluir
  20. Que lindo e profundo, Dani!
    Seus textos são maravilhosos! *-*
    Beeijos :*

    ResponderExcluir
  21. super profundo, super lindo, nem sei o que dizer :x

    ResponderExcluir
  22. As lagrimas quase rolaram,mas segurei .
    Passei por algo assim,vive mais sem viver sem estar presente,vegeta!
    Amei ♥

    ResponderExcluir
  23. Lindo, perfeitamente lindo o seu texto.
    Sempre é inspirador passar por aqui. *-*
    Beijos, Dani!

    ResponderExcluir
  24. Captou um momento bem mundano e solitário. O máximo.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  25. Ah Dani, perfeito demais...

    beijo grande

    ResponderExcluir
  26. Belo texto!!! Seu blog é show!

    Te convido a conhecer o meu e se possível participe!

    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  27. Nos sentimentos tão vazios, às vezes, que nada parece ter solução, nem mesmo outra pessoa ao nosso lado, e que muitas vezes, é a errada. Já me senti assim, sem companhia, somente o sol ou a lua junto comigo.

    ResponderExcluir
  28. adorei o post, adoro seus textos.
    é horrivel nos sentir sozinha, e saber que nada vai completar esse vazio dentro de nós, deve ser pior ainda.

    beijos

    ResponderExcluir
  29. Menina, teu blog sempre repleto de belas reflexões, sensações tuas, mas que nós nos identificamos! Ultimamente o tempo tem me afastado do blogger, mas nunca perderei os laços que nos unem por aqui! Logo estarei com uma nova postagem!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  30. Por mais que a despedida seja dolorosa, tem hora que precisamos nos libertar de tudo o que nos faz bem, mas só para experimentarmos o desconhecido.

    Vale a pena voltar, mas só de vez em quando :)

    ResponderExcluir
  31. Como dói essa sensação de estar só. De céu, de estrelas, de Lua refletindo sol, de grama, de café... tudo é menos pulsante quando nos tornamos mais inertes e vazias.

    ResponderExcluir
  32. “É em vão”, penso em dizer. “Nada é capaz de me aquecer, sempre fui assim, meio fria, meio intocável. Não adianta, não perca seu tempo comigo.”

    A melhor parte, com certeza. Sinto vontade de falar isso, mas me interrompo, às vezes, para não interromper tão prematuramente os outros.

    =*

    ResponderExcluir
  33. Amei o texto. "E desde então sou um pouco vazia, como se o meu peito já não pulsasse da mesma forma." Perfeito!

    (Ah, eu vi no Skoob que você estava lendo Antes de morrer. É lindo, né? Um dos meus preferidos.. Beijo.)

    ResponderExcluir
  34. gostei da tua forma de tocar as pessoas sem necessáriamente expor algo sobre tua vida.

    ResponderExcluir
  35. Amei o texto, ele simplesmente lindo,
    Não está sozinha, pense bem, sempre tem alguém.
    Grande Beijo.

    ResponderExcluir
  36. daniela, nem sei se lembra de mim!
    sumi do blog, teve uma campanha de 40 dias de jejum e oração, eu participei e fiz jejum de blog, nem deu tempo de avisar pros comentaristas.. hehe.
    daqui continua lindo e demais *--*
    beijo, até !

    ResponderExcluir
  37. Você tem futuro no ramo, lindo texto!

    ResponderExcluir
  38. O vazio é uma sensação esmagadora, realmente.

    Gosto um bocado dos seus posts, Daniela. ;)

    ResponderExcluir
  39. Ai eu amei o texto!
    Já pensou em escrever um livro menina?

    ResponderExcluir
  40. Adorei o modo como você colocou as palavras. Eu simplesmente amo ler posts bem escritos. Amei o seu blog, seguindo já! :*

    ResponderExcluir
  41. Um vazio pode incomodar até os corações que quase não batem mais, então é preciso ver muitos sol nascerem, ter somente a companhia da lua, para ao satisfazer-se nas coisas simples, começar a ter grandes satifações.
    Adorei o texto, bjs !

    ResponderExcluir
  42. Esse vazio que esmaga o peito. Sei bem como é...

    Lindo Dani!!!
    beijo grande

    ResponderExcluir