domingo, 23 de maio de 2010

Veronika. Parte I

 Cheia de amor e sedução, mal sabia por que, mas por onde passava, os olhos a acompanhavam. Perdeu-se tantas vezes entre a multidão, depois de cultivar tantos sentimentos desprezados. Buscava sua própria imagem, sem saber que a única coisa que lhe satisfaria seria a única que jamais poderia ser.
Era em si, uma metamorfose. Seus olhos eram de todas as cores e seus sorrisos eram outrora meigos e então sedutores, tímidos e até cansados. Veronika era somente ela mesma, simplesmente o que era, sem ser ou explicar.
 E simplesmente vive, sem entender a razão que a faz acordar todas as manhãs. Veronika gosta de dias nublados, vento frio e neblina baixa. Gosta de sentir as goticulas de água esfriando sua pele clarissima e também gosta da sensação do calor do sol no rosto, nos braços.
 Pensa em seus atos todo o tempo, quando conclui algo, percebe que não faz sentido, é tão melhor agir, fazê-lo. Então tem. Tem e sonha todas as noites que um dia sentirá a falta que a distância traz. Criou entre o seu coração e o mundo uma ponte larga e fria, as pessoas olham-a de longe e tentam disfarçar, quando os seus olhos as fitam é como se soltassem pequenas cargas elétricas, as pessoas percebem que sua pele começa a se arrepiar, e passam as mãos nos braços, na intenção de aquecê-los com o atrito. E não conseguem, enquanto aqueles olhos que mudam de cores constantemente os seguem, simplesmente não conseguem.

14 comentários:

  1. Nossa que linda historia
    fiquei com vontade de ser ela.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Veronika poderia se aventurar numa novela mexicana.

    Vamos qual será o destino dela. :D

    ResponderExcluir
  3. E simplesmente vive, sem entender a razão que a faz acordar todas as manhãs" um beijo querida aparece por lá

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do texto, senhorita.
    Tens muito estilo e talento.
    Meus parabéns!
    Jefferson de Morais.

    ResponderExcluir
  5. Quem é Veronika que tanto se parece comigo? O bom de chegar aqui, é ver que eu me encaixo em muita coisa que você diz. Essa é a parte I? Então anseio pela parte II.

    ResponderExcluir
  6. não sei se queria ser ela, se não.
    sentir tudo assim as vezes machuca.
    beijos
    to seguindo o blog.
    xxx

    ResponderExcluir
  7. Gostei do texto *-*
    Não sei porque, mas costumo me indetificar com o que tu escreves.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. "Veronika gosta de dias nublados, vento frio e neblina baixa. Gosta de sentir as goticulas de água esfriando sua pele clarissima e também gosta da sensação do calor do sol no rosto, nos braços." são meus dias preferidos também, os nublados *-*
    Linda a história! Beijos

    ResponderExcluir
  9. "Veronika gosta de dias nublados, vento frio e neblina baixa.." veronika combina comigo, gosto disso também, rs. Vamos ver como a história segue, ela me pareceu inconstante, e eu gosto disso, =D.
    Beijo Srta. Filipini!

    Charlie B.

    ResponderExcluir
  10. Mil vezes Lindo. Obrigada pelo apoio. Vc tem esse seu jeito de escrever que conquista..rsrs

    ResponderExcluir
  11. Eu não condeno Verônika e a entendo muito bem!

    BeijooO'

    ResponderExcluir
  12. Assim vive quem ama acreditando no amor.


    Beijussssssssssssss.

    ResponderExcluir