sábado, 29 de maio de 2010

Trinta e nove minutos. Posso te escutar.

Depois de toda essa desesperança, depois de todo esse tempo que se passou. Quando foi? Perdi a noção do tempo quando você me deixou, sozinha, sem saber o caminho de casa, a rua pela qual seguir, o rumo para me encontrar. Perdida e vazia.
A lua me encontrou. Naquele momento de sobriedade desesperada, enlouquecida pela falta, pela ausência que me causou. Saudade tornou-se o mundo quando eu percebi, enfim, o deserto no qual me deixara. Deixou-me, culpando-se pelo ato de ser e precisar. Precisar.
Ninguém nunca precisou de alguém como um dia eu precisei de você, sua bondade era como a sombra na beira mar. Eu via aquela água imensa, escura de cor inexplicável que eu sempre adorei, e em meus sonhos você me visitou, talvez fossem pesadelos, em outras palavras, era quase insuportável acordar. E eu acordei: todas manhãs ensolaradas, frias ou maltratadas. Todas as noites, quentes ou nubladas. Com céu ou sem teto, acordei desolada na infinita singularidade que me foi dada.
Lembra daquele som acustico bonito que parecia vir do além para nos envolver? Era tão intenso que eu nunca esqueci, nunca. A cada instante aquelas notas ressoaram em meus ouvidos,  me fazendo acreditar que por onde quer que eu fosse, você estaria sempre comigo.
Então me diga por quê. Agora me diga. Explique ou invente uma teoria qualquer, me faça acreditar que se foi porque a vida exigiu isso de você, diga que, assim como eu, nos dias nublados-ensolarados-infinitos que esteve distante dos meus braços pensou em mim.
Eu olho – todos os dias – pela janela, busco um motivo para já não te esperar e não posso, não concordo que um dia o mundo agiu para nos separar.
Se que tus alas se quedan conmigo, que desde el cielo tu abrazo es mi abrigo, ángel divino me cuidas del mal. Se que camino con tu compañía, que con tu voz se me encienden los días aunque tu puerta hoy este mas allá, te puedo escuchar. En cada libro esta escrito tu nombre, en cada verso te siento cantar. Tu mano me lleva directo a tu sombra. Yo se que una noche te voy a encontrar.
Você sabe que foi meu alento do começo ao fim. Fim este que ainda não aceitei, busco-lhe no deserto de almas em que passei a viver. Busco-lhe aonde eu for, ruas e avenidas são pequenas no mundo que eu tenho para vagar. Precipícios são rasos diante da profundidade do meu querer.
Me dê agora, um único motivo para que eu feche os olhos e saia, sem lhe tocar, sem que o sentimento que eu sinto seja mais forte do que qualquer coisa que eu venha um dia a encontrar. Você é meu mundo, digo e não tenho porque calar. Essa voz insiste todo o tempo em provar o quanto eu posso te amar.

40 comentários:

  1. "Te puedo escuchar" rs' amei o texto, sincero e profundo.

    beijos ;*

    ResponderExcluir
  2. A vida é assim, continua, sem mesmo nos dar a oportunidade de descansar.
    Ela está sempre a nos tirar algo e, muitas vezes, o que temos que fazer é nos desapegar.

    Meu beijo!

    ResponderExcluir
  3. é triste o texto, mas lindo.
    a parte em espanhol foi tensa pra mim. skaoskoak
    :*

    ResponderExcluir
  4. DANI *--------* , eu fico qrendo sempre mais qndo venho akii ,q doces palavras completadas pela letra da ANY (: ;**

    ResponderExcluir
  5. Se você for uma pessoa sensível, quase tudo.
    Porque aí você não precisa ver nada.. vc apenas sente as coisas...
    É mais fácil sentir quando se fecha os olhos.

    bjs moça bonita

    ResponderExcluir
  6. apaixonador o texto... parabéns...

    *respondendo a sua pergunta no meu blog: o fato de o presente raramente parecer bom (ou não) se deve a nossas ações e as nossas interpretações das mesmas.. o presente, dessa forma, reflete a nossa condição humana imperfeita e equivocada; além de tbm ser a unica coisa q de fato temos a nos agarrar... o passado, por melhor q tenha sido, já n existe, e o futuro é apenas pretensão nossa de q a vida n acabe aqui..

    besos.

    ResponderExcluir
  7. *respondendo a sua pergunta no meu blog: /2 sabe, que eu nem sei amor, haha.. achei bonito e resolvi postar.

    ResponderExcluir
  8. Estou um pouco ausente dos comentários, porém hoje foi um dos raros dias que tive tempo extra para ler blogs e comentar nos mesmos. Passe o tempo que for sem ler os teus textos e eu quando leio algum novamente me encanto cada vez mais. A cada dia que passa teus textos tornam-se mais belos. As rimas, as palavras, tudo em perfeita combinação. Parabéns querida. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. O poder do amor é impressionante mesmo.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  10. MORRI TOTALMENTEEEEEEEEE *-*
    AI JESUS ME SEGURAAA! FICOU SIMPLESMENTE LINDO E AINDA COM A MUSICA DA NARRÍ, NÃO ME MATA NÃO SENHORITA.

    xx

    ResponderExcluir
  11. que lindo, *-* nem sei o que falar rs

    ResponderExcluir
  12. é tãoinjusto o poder que alguns assumem de nos deixar assim, sem rumo. ameeei.

    ResponderExcluir
  13. 'Com céu ou sem teto, acordei desolada na infinita singularidade que me foi dada.'

    Melhor parte além de 'Te puedo escuchar', é claro.Levei um susto quando vi a letra aqui *-*

    ResponderExcluir
  14. Uma procura infinita, contínua, profunda e sincera. Nos faz encontrar a nós mesmos em suas palavras, em suas entrelinhas, em seus desejos, em seus planos. Lindo, querida.

    ResponderExcluir
  15. Também procurei muitos porquês. E houve muitos, mas nenhum que me acalmasse.
    No fim, tive que procurar meus próprios porquês e, só assim, encontrei a calma.
    Lindo texto...
    Fiquei super feliz com seu último comentário, muito obrigada mesmo!
    É mais do que uma honra =)
    Cuide-se, beijos! ;***

    ResponderExcluir
  16. Seu blog é maravilhoso! Estou seguindo, claro :)

    ResponderExcluir
  17. A vida é assim mesmo, amores que vem e que vão.

    ResponderExcluir
  18. Ser encontrado pela lua é um privilégio! especialmente se acontece numa noite fresca de outono...
    Bjo

    ResponderExcluir
  19. Você continua lírica e romântica.
    Gostei das fotos novas...
    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Sorte sua que a Lua te encontrou, hein? E de Lua eu entendo!
    Bjoo!

    ResponderExcluir
  21. A mulher apaixonada em sua eterna busca cotidiana por suas pueris respostas.

    BeijooO'

    ResponderExcluir
  22. Que lindo o texto.
    espero que alua me econtre, nad apiro como finalmente sentir aquele vazio no coração de que enfim precisa de uma pessoa ao lado, mais tudo tem seu tempo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Que bom que cutiu o selo. Te acho uma blogueira muito boa! Cara, se poder baixe mesmo e os últimos cd's da Joss estão realmente bons. Super soul e blues. ÓTEMO!

    ResponderExcluir
  24. deserto de almas " me arrepiei do começo ao fim " ; inspiradora você um beijo querida

    ResponderExcluir
  25. O trecho em espanhol deu um quê de misterio ao texto,muito bem sacado.E não te elogiaria se realmente não curtisse o seu trabalho.
    Bjos e parabéns!

    ResponderExcluir
  26. Nunca calar
    Penso assim
    Falar a todos sobre
    As dores mais profundas
    A saudade mais dolorosa
    A alegria mais querida
    As feridas abertas e as cicatrizadas
    Porque calar?
    Tudo é para ser vivido
    Mais nada



    Beijos doce menina.
    PS. Meu msn: franzejoliveira@hotmail.com
    Podemos nos falar?

    ResponderExcluir
  27. Ficou lindo o texto.
    E suas fotos estão demais.
    Beijo

    ResponderExcluir
  28. oooi, gostei daqui (:
    estou seguindo se quiser retribuir ;
    beijo *-*

    ResponderExcluir
  29. uma "tentativa" fracassada de seguir em frente?

    saudade, desejo de fazer diferente...quem não sente?

    mas é preciso seguir, e seguir...
    beijo

    ResponderExcluir
  30. Trinta e nove minutos é o que minha psicologa costuma dizer com um certo humor, para eu não perceber que ela está com pressa.

    ResponderExcluir
  31. Que lindo, também gosto muuuuito de Anahí. E já que você parece fã dela, nunca esqueça: "sí pones tu alma y tu corazón en sus sueños el universo conspira y ayudate a conserguilo".

    ResponderExcluir
  32. "Ninguém nunca precisou de alguém como um dia eu precisei de você!" Que lindo! *.*
    Parabens!!! Beeijos :*

    ResponderExcluir
  33. ;/

    difícil dizer alguma coisa.
    sério mesmo...

    ResponderExcluir
  34. pouxa flor
    sempre que vc escreve coisas assim me vejo no texto
    por coisas que passo e passei
    ... pouxa...

    beijos

    ResponderExcluir