quinta-feira, 8 de abril de 2010

Memorável. Parte III

Na invariável expressão de seus olhos, disse-lhe, sem tentar, que quando encontrava-o seu dia mudava e as horas passavam tão rápido que não podia acreditar. Como consequência de seu primeiro ato, um beijo criou-se em seus sonhos, e beirando a loucura de seus planos deixou-se levar pela simplicidade de um abraço.
Sonhou só, acreditou de corpo e alma que aquilo poderia ser para sempre, e então, num ato já pensado, escutou a voz que tanto anciara, tanto quis. Tremeu sobre a grandiosidade daquele momento e então compreendeu, pela primeira vez, que um sentimento assim não acontece duas vezes. Chorou com antecedência, quis intensamente e mostrou a quem quisesse ver, que quando se encontra uma alma assim, tão rara, não se pode esquecer.
Beirou seus abismos em sua ausência fosca, conheceu seus medos, enquanto quando estava ao seu lado não se incomodaria em ver o mundo explodir diante dos seus olhos, já que seus pés não precisavam do chão.
Vez ou outra olhava ao seu redor e tudo era muito distante, então procurava em seus interior algo bom, o que encontrava era lindo e misterioso, e em seu peito era descontrolado, bastava somente existir para colidir com a razão, expandindo-se em todas as direções.
Era curioso como acontecia, marcava como o fogo na pele já quente e gritava que não cessaria sem antes tudo destruir. E nisso ela acreditava, pois sempre que revivia se encontrava perdida em seu próprio ser. Buscou em seus tempo, seu coração traçou o caminho e seus olhos vendados não discutiram, não seria necessário ou possível lutar contra aquele doce e pequeno amor.

15 comentários:

  1. O amor acontece tão poucas vezes, deixa tantas marcas, deixa-nos a desejar que ele volte. Mas não, nem sempre.

    ResponderExcluir
  2. Pequeno grande amor! :D

    Muito bonito. ;*

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. To amando o seu conto amiga, *--*

    Menina de diversos talentos ♥

    ResponderExcluir
  5. Esse amor não parece tão pequeno assim !

    ResponderExcluir
  6. É uma história linda, Dani. Muito mesmo.
    "não seria necessário ou possível lutar contra aquele doce e pequeno amor."
    It already says all.

    ResponderExcluir
  7. Muito lindo o texto!:)
    Não sabia que você posta todos os dias, perdi muita coisa! *o*
    beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oii tudo bem?
    tô passando pra deixar nossa marquinha e pedir que vc visite nosso blog, fizemos ele esses dias.
    se gostar segue a gente e nos linka?
    deixe sua opinião lá tbm (:
    beeeijOs
    Giiih
    @dropdeadgih

    ResponderExcluir
  9. nossa, li as 3 partes, que lindo *-*
    me explica, como consegue escrever essas coisas tão lindas? eu leio e é inevitável não sorrir com tantas frases fofas e esse texto perfeito (: parabéns
    beeijos

    ResponderExcluir
  10. É muito agradável ler esta história, agradável e tocante. Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Você descreve o amor de uma forma tão bela, que faz qualquer um querer estar nele.
    Adorando acompanhar essa história.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  12. "não seria necessário ou possível lutar contra aquele doce e pequeno amor. "

    Desejei ver cores em tua escrita, e estou vendo a primavera aqui, vendo uma entrega romântica, algo mais feliz, algo mais poético, se é amor, que seja, todas as formas de amar valem a pena, viva isso, sinta isso, minha menina!

    Beijo,

    Charlie B.

    ResponderExcluir
  13. Adoro a força do texto….algo doce porém direto (de direita).

    BeijooO'

    ResponderExcluir
  14. Que conto lindo, amei desde o inicio até agora. Tão doce, tão simples e tão cheio de significados. Parabéns pelo blog, muito bom. E obrigada pela visita no meu viu? Volte sempre que puder e estarei esperando por você xx

    ResponderExcluir