sábado, 30 de maio de 2009

Como yo...

Perdida em seus pensamentos, ela passa e não olha.
As mãos nos bolsos, andando contra o vento frio, fones no ouvido e a cabeça em algum lugar distante.
Ninguém sabe, ninguém se atreve a saber, o que se passa atras desses olhos profundos. Misteriosos. Ninguém imagina que o que ela parece ser está longe do que é de verdade.
Andando em passos rápidos e largos, sem olhar pra ninguém, sem notar ninguém...
Então ela sorri sozinha, lembrando de alguém que fala de uma forma engraçada, uma pessoa que ela não imaginou que não lembraria com tanta frequencia, e que sentisse tamanho sentimento.
Como se não existisse mais ninguém naquela rua pra ver seu sorriso rápido. Em passos largos, logo ela se foi e não voltou.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Se fue.

Me sinto leve, sozinha.
Como se tudo e todos tivessem sido apagados de minha mente, cada palavra dita e ouvida. O que eu via era o seu rosto, a única coisa que existia em minha mente era você.
Então eu te procurei. Vaguei, solitária, por dias e noites, sem entender o porquê de nada, tudo era tão novo, mas o teu rosto não saia da minha cabeça. Como se meus olhos tivessem procurado os teus durante toda a vida.
Eu não sabia como, nem onde, nem quando, mas era como se durante todos os dias de minha existência eu tivesse esperado por você, com olhos vazios, o coração batendo rápido.
Te procurei em cada ser, cada rua, cada lugar por onde passei, tentei te encontrar sem ao menos saber quem você era, de certa forma eu sabia que você trazia minha felicidade nos lábios, tudo o que eu precisava era te ter por perto, e saber que em todo mundo, fui capaz de distinguir o brilho destacado de seus olhos.
Não fui forte o suficiente pra desistir do que a vida destinara a mim, por um longo tempo tive medo de um dia acordar e ver que teu rosto sumira de minha mente e nunca mais voltar a sonhar com você.
Então, do nada, você estava ali, na minha frente e já não era um sonho, você me olhou e eu esperei que aquele segundo durasse toda a eternidade por saber que você estava me olhando.
Então você sorriu, e como eu esperava, nos teus lábios estava toda a minha felicidade.
E como eu sonhara, você não se aproximou de mim, só ouvi tua voz num movimento rápido;
"Que bom que você chegou a tempo, mas agora preciso ir, espere por mim, preciso procurar algo que me faça merecer esse teu sorriso."
E partiu.

terça-feira, 26 de maio de 2009

No dice nada.

Não acreditava em horoscopo, ria e chorava sozinha. Desenhava e recortava roupas que adorava usar, pintava seus All Star's e amarrava laços coloridos em sua mochila.
Ninguém a considerava criança - só seus pais -, ela era assim porque gostava, porque sonhava. Tinha vontades que escondia e segredos que nunca ninguém soube ou sabera.
Compos musicas que nunca ninguém ouvira. Teve sensações que a muito não sentia, sentiu falta do que pensou estar livre. Teve vontades que precisou matar.
Chorou por motivos que nunca imaginou chorar, leu livros que imaginou que não leria. Pagou preços que antes não pagaria. Sonhou o que ainda pensa em realizar.
Escreveu histórias que nunca pensou que poderia criar. Riu sem motivos e chorou por motivos que não gosta de falar.
Precisou de um abraço e não teve, tantas vezes. Ouviu o que não ajudou, se calou.
Chorou sorrindo, riu do motivo de suas lágrimas. Viveu e desejou não viver.
Quis voltar no tempo.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Baseada en un Best-Seller

Poucas palavras, nenhuma explicação. Ele se foi, e nunca mais voltou.
Desapareceu por entre as arvores e levou consigo todas as suas lembranças, todo o amor que ela sentiu em sua vida. E levou consigo todos os seus sorrisos, e todos os seus abraços.
A partir daquele momento ela sabia que nunca mais o veria, e que jamais o esqueceria.
Deixou de viver, e de sonhar, não tinha vontades e não procurava ter.
Temia que algum dia, alguma noite, com o cansaço de esperar que ele voltasse, se esquecesse do seu rosto. Temia que algum dia acordasse e não lembrasse porque ainda continuava viva - e sabia que o unico motivo era a esperança dele voltar.
Ele a deixou, ele a deixou e ela sabia que jamais voltaria a sorrir, jamais voltaria a sonhar.
Só amaria, amaria porque era feita disso a sua vida. Amaria porque não queria acreditar que tudo o que viveu não voltaria. Amaria porque sabia que se não amasse, nem sequer existiria.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

A tu lado...

Ouço as horas passando pouco a pouco,
como gotas de chuva na janela.
Ouço os ruidos da minha lamentavel dor,
como gargalhadas ecoando no infinito.
Se eu pudesse ao menos ter certeza do que eu sinto.
Se eu pudesse ao menos ter esperança de você sentir o mesmo...
Enquanto lembro da tua voz, dos teus olhos e meus beijos, do teu riso, teu abraço e teu cheiro...
Me sinto terrivelmente abalada sem você, é como se...
A minha alegria tivesse ficado ai, do teu lado.

'... eu vejo nas horas o que não se vê, me perco lá fora, pensando em você... '

sábado, 16 de maio de 2009

Hacia frio.

Estava frio. Estava frio e eu não sentia. Não sentia nada... Felicidade, tristeza... Nada.
Só o vazio me consumindo aos poucos.
Acredite no que te faz sentir, e sinta.
Eu não me considero uma pessoa triste, nem feliz. Posso dizer que sou uma pessoa vazia.
Solitaria.
Pedi a Deus felicidade, pedi que me desse força pra levantar a cabeça e sorrir.
Ele me concedeu metade do pedido.
Nunca imaginei que um dia pediria isso, e sempre pensei que ele estaria ocupado demais pra me ouvir, afinal, são tantas guerras, violência, fome... Mas ele atendeu... E aqui estou, vazia e sorrindo.
Que culpa eu tenho, de ser tão feliz? De ser infeliz e não deixar de sorrir?*

(*Créditos: Nany.)

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Vida, sueños, esperanza.

Livre em um mundo de palavras, presa em um mundo de guerras.
Sentindo medo do que não existe, saudade do que nunca aconteceu.
Olhando nos olhos de alguém que nunca viu.
Eu não sabia, nunca imaginei o mundo aos olhos de alguém que sonha.
Enquanto as pessoas dançam e cantam, eu olho para um céu de estrelas, iluminado pela Lua.
Enquanto as pessoas matam e morrem, eu olho pro horizonte de cor arroxeada, me perco no pôr-do-Sol.
Começo a imaginar, porque aos olhos de alguém que sonha tudo é possivel.
Começo a desenhar, porque aos olhos de alguém que sonha nada é impossivel.
São riscos irregulares e cores inexistentes. Palavras nunca ditas.
Livre em um mundo de palavras, enquanto as pessoas matam e morrem, eu olho pro horizonte de cor arroxeada e me perco do pôr-do-Sol.
Então eu imagino, o fim das guerras, dos medos... Porque aos olhos de alguém que sonha tudo é possivel.

domingo, 10 de maio de 2009

Silêncio.

- Eu tenho que ir, mas não quero...
- Porque você não quer ir?
- Porque lá é vazio...
- Mas você não disse que tinha um monte de gente?
- Tem...
Silêncio.
- Tem gente e é vazio.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Un mar de pensamientos...

Procurei inspiração no brilho forte das estrelas. Sorrisos e lágrimas.
Procurei nas mais distantes profundezas de um mar de pensamentos.
Como se soubesse o que procurava, encontrei você.
E você sorriu, o seu sorriso não era o mais encantador e nem o mais marcante, mas era o que me deixava mais feliz. Você não era nenhuma hipotese do que um dia eu sonhei, mas foi você que eu encontrei, em meio a uma multidão.
Me perguntei muitas vezes se o que eu o que eu vivia era real, e o porque desse sentimento, sendo que eu fui sempre tão inabalavel.
Então por um segundo eu fechei os olhos e sorri, pedi que nunca amanhecesse, pra olhar as estrelas e lembrar de você.