quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Os últimos serão os primeiros!

Um sonho que me encontrou na margem do meu mundo perdido, em um solitário dia chuvoso, entre a névoa e a loucura das minhas lembranças. Meus olhos molhados entregavam-me a quem quer que fosse, meu rosto assustado lutava contra os gritos que chamavam pelo meu nome. Meu coração partiu-se. Entre batidas rápidas e uma respiração que cessava por alguns segundos e renascia no silêncio do medo.
Já não era possivel pensar, toda dor acumulada foge do controle e o tempo deixa de existir. O que era não existe mais. Quando perdemos alguém demoramos a crer na verdade, porque a verdade é mais cruel do que se pode imaginar. E em uma voz rouca crescem palavras que machucam, no sentimento desaparece toda doçura, todo calor e beleza. E entre tanta dor nascem os sonhos, que no começo são distantes e quase invisiveis, pois a tristeza torna nossos olhos pouco potentes, a nossa crença na vida se torna pequena.
Mas acredito que somos capazes de recomeçar, mesmo na dor da ausência. E podemos mudar o mundo, dissolvendo as paredes escuras e descoloridas em um lindo céu brilhante, pintando beijos e flores, sorrisos e novos amores, pois tudo é possivel, assim como o tempo não pára e a vida não espera ninguém.
Um lindo 2010 para todos!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Um amor que se perdeu no céu.

Eu posso ouvir meu coração batendo e nem preciso me concentrar. Sinto medo. O pensamento é rápido como a chuva que molha meu rosto, numa confusão de lágrimas e água. Quando as coisas aconteceram eu não sei, mas não deixei de viver um grande amor. Cada sentimento de culpa se transformou-se em cura, e logo poderei voltar a sorrir.
Já imaginei, entre as estrelas, uma Lua ofuscante, que brilha como jamais, em qualquer hora de um dia qualquer. É verão, é inverno, tudo ao mesmo tempo. Cada sensação que eu tive me faz lembrar, me faz sorrir, me faz chorar. As lágrimas surgem e a vida retorna a acontecer. Escrevo sem sentido, sem rumo. Não busco compreensão, só conheço meus mistérios e meus limites como ninguém. Compartilho meus pensamentos somente com os papéis que me cercam e os livros que me acolhem.
Vivo na minha confusão, minha prisão, meu sermão. É assim meu mundo. Aqui, onde o Sol nasce, na direção da escuridão, sinto-me perdida perante o brilho das estrelas, só me restam palavras e um amor derrotado. Um amor que se perdeu no céu. Um amor que é um sonho, que é uma vida, que é o brilho na noite sombria. Um amor que é mais forte que qualquer barreira que já me vi derrubar.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Tudo o que sei e o que preciso

Sou só um momento, o amanhecer e o pôr-do-sol aos seus olhos, sou o tempo que não acaba e sou também o infinito brilho no seu olhar. Sou palavra sem sentido, com os sonhos revestidos de amor, me ponho a chorar. Sou o momento propício, a lágrima que brilha com o significado cheio de dor. Sou a fantasia das histórias e o ato de ser feliz. Sou o gesto da solidariedade e sou o céu de um dia gris... Sou a noite estrelada, a alegria compensada no abraço de quem sorri, sou grande e, por acaso, sou tudo aquilo que me faz sentir.
Sou a solidão que vivo, o eterno viver de um sonho. Sou o lugar em que nasci, e também sou o tempo que planejei. Sou qualquer coisa que seja livre, que tenha um gosto, uma essência.
Posso ser uma flor ou uma borboleta, posso ser o vento ou a chuva na janela. Eu só sei que eu vivo como se mais nada existisse, sei que eu amo como se o tempo não fosse passar e sei que eu quero tudo o que me faz feliz, durante a vida toda...
Sou também você, sou o nós que nos compõe. Sou o vento na tarde fria de inverno. Sou a solidão que já senti e o vázio que me envolve nos dias quietos. Sou tudo o que sei, e preciso, incontrolavelmente, de amor.

Once upon on a Time!


Acordei em um dia nublado, depois de chorar durante horas antes de dormir. Ouvi as palavras que mais temia, as palavras que chegaram como um golpe, uma dor quase inaudível invadindo cada músculo do meu corpo, e o meu coração batia rapidamente, acompanhando os soluços que eu nem sequer tentei controlar. Jurei a mim mesma que não iria aceitar desculpas, palavras ou flores, jurei que não aceitaria sonhos, nem sorrisos e nem beijos, nem um simples toque na mão. Pois sabia que a eletricidade do amor magoado que eu sentia iria me entregar por completo, jogando-me contra o corpo quente que me abrigava nas noites frias, com os braços fortes que me protegiam de qualquer perigo. Com os olhos marcados por tanto chorar, levantei-me e decidi recomeçar. Reergui meu rosto e permaneci viva durante alguns dias, evitando pensar em como seria quando eu o visse, sabia o choque que sentiria e não queria me machucar. Lembro-me dos seus olhos quietos enquanto me olhava de longe, lembro-me do calor das tuas mãos ao encontrar-se com as minhas. Depois disso tudo foi conseqüência. Tuas palavras doces e as esquecíveis vezes em que me pediste perdão... Eu sempre soube que não suportaria me culpar por deixar-lhe partir, joguei-me contra o teu corpo quente que me abrigou e me protegeram fortemente de qualquer e todo perigo. 
Quebrei minhas promessas, tudo bem. Nada mais importava, eu estava feliz e isto era realmente o que importava!   
Pauta pro Once upon on a Time :)

domingo, 13 de dezembro de 2009

"Teus olhos certos mas não sei o que dizer..."

Eu poderia escrever um livro sobre tudo o que eu já senti por você, um capítulo para cada expressão, um parágrafo para cada minuto. E escreveria por toda vida se pudesse. Como um retrato do teu rosto, onde cada detalhe estaria incluido no meu ser. E o teu sorriso seria a capa do livro, e os teus olhos seriam o título. Teus olhos certos, que me calam e me acalmam e me fazem viver. Lembra daquela noite, em que eu vi você chorar? Por culpa dos teus sonhos irreais, da tua força iludida de amor e de um desamor quase fatal. Por medo do incerto, da saudade do que nem sequer acabou...
Um encontro que paralisa, e tudo o que se pode fazer é olhar. Uma despedida que machuca, desarma, separa e faz pensar... Sair sem rumo, ignorar o som, as pessoas, a fumaça e a bebida largada no chão. Chorar sem saber bem o por quê e perguntar-se várias vezes a quanto tempo tudo começou.
Beirar a loucura, olhar o céu a procura de um abraço, um alento. E de repente sentir falta e uma dor horrivel no peito. E tudo acabar do nada, assim como começou. Em um encontro que paralisa e um sentimento de indecisão mesmo quando se sabe o que quer. Todo amor e toda dor andam juntos, em encontros e desencontros que paralisam, e uma voz que não sabe o que dizer.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Como uma estrela no céu


E você, menina, pisava nas estrelas e sorria como a lua no céu iluminado por seu olhar. Quantas vezes me vi contemplando-a, em meus sonhos e em toda noite feita de realidade. Toda magia do seu sentimento, que transparecia na sua alegria, no seu modo de ver os dias passarem sem lamentar a vida solitária que tinhas.
Menina dos meus sonhos, menina dos meus olhos e do meu mais puro sentir. Se um dia eu lhe tocasse sei que jamais saberia o que lhe falar, por que o que você é pra mim ainda não tem explicação.
Mas quantas vezes me vejo tentando imaginar tudo ao seu redor, tudo o que sente e o que vive por brilhar... Quantas vezes pensei em seus sonhos, suas lembranças e seus planos. Se já teve um grande amor... Ou se tem, se quer, se precisa.
Quantos risos guardei para você, quanta inocência em meus pensamentos, quanta magia em meus sentimentos. Se soubesse como me faz feliz por somente e simplesmente existir, viveria eternamente. Se soubesse o tamanho do efeito que tem a cada cair no horizonte, a cada noite iluminada por seus sonhos que brilham como uma estrela linda, dessas que você tem aos seus pés, dessas que lhe fazem pular como um caminho a percorrer.
E sabes que neste caminho existe o amor, existe o céu e a esperança. Acredita, menina, se eu lhe disser que há muito tempo não durmo, só por lhe ver passar?

sábado, 5 de dezembro de 2009

Os teus olhos calmos...

Teus olhos me derrubam, olhos profundos como o mar nos meus olhos claros e rasos como o céu... Teus olhos, que são capazes de acalmar qualquer louco, por que como na profundidade de um abismo existe um silêncio - uma serenidade - que eu jamais encontrei. E existe a confusão de um anjo. Um sentimento infinito até o ultimo pedaço de céu, onde vivem os sonhos e a felicidade. Onde uma flor é amor e um sorriso é amor, um sentimento tão bonito que meus olhos transbordam por um simples pensar, tão bonito que chega a machucar. Machuca como uma estrela ignorada, somente um brilho perdido no nada. Sem direção, uma dor quase insuportável diante de olhos desesperados como os meus, perto de olhos calmos como os teus, que me fazem crer que depois de uma noite escura sempre volta um Sol brilhante.
Teus olhos me embalam como uma criança, na sintonia de sua voz e meu riso. São nessas noites frias e solitárias que eu sinto o tamanho da falta que me faz você, é quando o céu está nublado que eu noto a importância do teu sorriso.
Pra mim, você é mais que o brilho da noite e a emoção de um beijo, pra mim você é mais do que eu posso explicar, mas que, olhando nos teus olhos calmos eu sinto que você entende.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Não sei nada de tudo o que falei

Vejo, entre folhas e galhos secos um céu infinito e escuro. Vejo os meus sonhos velhos, tudo o que eu fui, tudo o que eu desisti de ser. Não sou a vontade que me cerca, mas posso ser o medo que me atrai. Basta eu mudar um pouco e meus olhos já não são os mesmos, minha vóz já não é igual.
Sou capaz de ser o brilho das estrelas, tudo depende do ângulo em que você olha para mim. Tudo depende da sua vontade, da sua coragem, da sua sede de felicidade. E do seu potêncial em sorrir. Preciso ver se seus olhos brilham como os de um criança ao ver sua mãe se aproximar de braços abertos.
Preciso ver se seu rosto se contrai em um sorriso inocente, preciso disso para fazer-lhe feliz. Preciso de alguém diferente, alguém que não precise de mim, pois não quero precisar de ninguém.
Eu quero olhos fascinantes, como os de quem se permite chorar. E quero antes de tudo, que essa pessoa saiba da frieza de minha alma, para não se ferir depois. Quero que saiba que vivo só por respeirar, e se me perguntar por quê... Direi-lhe que já amei alguém demais, e que por amar tanto vi meu coração despedaçar-se. Direi também dos meus sonhos e do universo de palavras que eu já chorei, que eu já criei, que eu já vivi. E posso falar também, dos fracassos de uma vida inteira, e das vitórias que ainda estão por vir.
Posso falar de um abraço seguro, da Lua fria que eu já visitei dormindo e dos medos de me perder.
Mas não posso falar da felicidade que eu senti, e nem do tamanho do meu amor maltratado. Por que amor é felicidade, e felicidade é amor, mesmo se existir dor... Não posso falar, por que não sei nada de tudo o que falei, e por que dos meus sonhos... Eu acordei!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Sempre me perdi entre o encontro e a despedida.

Acordei assustada, sua voz ecoando na minha cabeça, mas você já não está aqui. Só restou o vazio no lugar do seu abraço, uma lágrima de dor, um aperto de saudade. Vontade de voltar atrás... O frio me faz lembrar você,  pois eram seus braços que me aqueciam, e se a angústia existe, ela está aqui, junto ao medo de não vencer, mas vencerei, sou a pessoa mais forte que já conheci.
Não posso lamentar o amor inventado, não posso deixar de viver. Hoje, mais do que nunca, preciso sorrir, e mostrar à mim mesma de que sou capaz de reerguer-me, mesmo se o céu cair sobre meus ombros. Vou me levantar sempre, pois a pior dor é a de não ter esperanças...
Quero algo pra lembrar, e quero algo que me faça esquecer. Por que tenho medo do que permanece. Tenho medo do que me faz pensar, pois não sei a reação que vem a seguir. Não sei o tamanho da dor que invade, não sei nada sobre perder algo tão raro. Não sei por que nunca tive, e por não ter não perdi.
Agora eu quero lavar meu rosto e tirar todas essas marcas de solidão que em mim permaneceram. Não sei por quanto tempo dormi, sei somente que há pouco acordei, e os sonhos sempre parecem melhores que a realidade... Sempre me perdi entre o encontro e a despedida.
Sempre me perdi dentro dos olhos escuros que insistem em me olhar, no sorriso que insiste em me acompanhar. E se eu sentir que não posso me abandonar, estarei feliz por saber que parte de mim é você, e assim, você sempre estará comigo. Mesmo depois da despedida.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Mil promessas.

Se a pressa dos meus passos não me acompanhassem tão calorosamente eu me permitiria parar pra fotografar o céu, olhar nos olhos de um estranho qualquer e sorrir para lhe transmitir a alegria que guardo em mim. Olhar o horizonte com a ternura de quem se apaixona todos os dias pela mesma pessoa, e permitir que a solidão venha pra lhe provar que já não sou tão vulnerável assim. Pra lhe mosrtar que já sei andar com minhas próprias pernas, já sei sorrir sem motivo, já sei brincar de esquecer e que sou capaz de amar - e de ser amável.
Posso fazer-lhe mil promessas, chorar mil motivos, contar mil histórias. Mas não seria eu, pois penso que promessas são feitas para serem quebradas - mesmo detestando quando isso acontece.
Hoje sorrio como uma criança, pois leio palavras de uma criança que se faz feliz por existir. Dos meus sonhos guardei muitos, os carrego comigo aonde quer que eu vá, por que sei o tamanho da tristeza que sente um coração que não sonha por medo. Um coração que só bate por pensamento, pelo simples fato de bater.
Desconheço o tamanho do mundo, nem sequer sei quantas estrelas podem existir, sei somente que a cada amanhecer vejo renascer - junto ao Sol - uma nova quantidade de azul, um novo céu pra se viver. Aprendi - entre percas e ganhos - que a vida é curta, que só sonhar não basta, os sonhos precisam ser realizados. Aprendi que o que importa é o presente, por mais doloroso que seja pensar em um futuro solitário.
Aprendi que tudo o que eu sei, a vida me ensinou, e que a felicidade só é valorizada depois de uma fase de sofrimento. Olhei pro horizonte, e me aconcheguei nos braços do amor de quem me ama.

sábado, 14 de novembro de 2009

Por toda a eternidade...

Me perdi em textos de olhar o horizonte, frases que vi nas estrelas, sonhos que perdi no escuro. Em um mundo que parou de girar e mudou de foco, que mudou de plano. Sorri por engano quando eu quis chorar.
Senti sob meus dedos lentos o som nascendo. Em meus movimentos brevemente observados, em meus sonhos esquecidos a cada despertar. Vi que esqueci das minhas flores, mas vi que elas permaneceram vivas. Pois mesmo estando em meu esquecimento, estão comigo. Pois mesmo sabendo da falta de proteção, aguardam o meu retorno.
Eu falo das palavras que contenho, que não ouso falar. Falo dos sentimentos que perco, do sentimento que cresce e da dúvida que atrai. Falo das músicas que ouço, dos versos que leio... Penso que só de pensar em mim já penso em ti, e o que vem depois disso eu nunca sei explicar.
Tenho em mente a sombra de um abraço que me faz tão bem quanto o ar, um sentimento que não cabe no peito, uma explosão de verdade. Como se fosse tudo e nada, e como se acabasse logo depois de começar.
Como se não tivesse fim, se eu soubesse ao menos quando começou... Mas isso não importa, já sei o que quero e do que preciso. Já sei o quanto posso esperar e até onde me limito a ir. Sei que de me esqueci de voltar pra casa, me perdi no caminho, esqueci por quantas ruas passaria, quantos passos eu daria...
Esqueci que a saudade machucava e que a dor era insuportável. Esqueci de tudo pra pensar somente no presente, que me faz feliz hoje, por toda a eternidade!

sábado, 7 de novembro de 2009

No seu amor, no nosso amor!

Como sussurros do vento, ouço sua voz me acordar, seus olhos encontram os meus e um sorriso cresce em seus lábios e sem perceber, me vejo sorrindo também.
Logo caio em seus braços, sinto uma alegria imensa, por conta da felicidade que você me trás, logo me vejo sonhar. Os atos se perdem entre o começo e o fim do momento que não podia nunca acabar.
Não sei como eu pude suportar tanto tempo sem seu olhar, pra me encontrar, pra me acalmar, pra me calar. Não sei como pude suportar tanto tempo sem suas mãos pra me segurar, pra me tocar, pra me entender. Não sei como eu pude suportar tanto tempo sem os seus lábios pra me sorrir, pra me falar, pra me beijar. Não sei como pude suportar tanto...
Porque da ação à conseqüência eu já perdi toda a noção. Então eu sinto você que me acalma, que passa a mão pelos meus cabelos, dizendo que em mim é o seu lugar, que não pode me deixar partir, porque sua paz só existe ao meu lado.
Vejo-lhe chorar, vejo-me chorar. Seco suas lagrimas e finjo ser forte pra lhe passar segurança, finjo ser fraca pra lhe ver me proteger. Digo que te amo, depois de te ouvir falar, que o pra sempre deve nos acompanhar... que os dias serão grandes e as noites aquecidas, no seu amor, no nosso amor.
Porque eu não quero ver isso acabar jamais. 

domingo, 1 de novembro de 2009

Eu falo dos olhos, falo das vozes...

Eu preciso lhe falar, que cai na profundidade de seus olhos e que não preciso mais me salvar, porque fiz do teu sorriso meu porto seguro e do teu abraço meu abrigo. Me diz o que sonho, me diz o que eu espero. Porque na escuridão dos seus olhos encontrei a luz que me procurava, e na força do seu abraço entendi porque cada minuto vivi, porque cada caminho trilhei. Parece que tudo o que eu passei, enfrentei pra um dia encontrar você.
Como tatuagem na pele, meus labios querem os teus, como estrelas no céu, meus olhos não são nada sem teu brilho. Eu te quero mais perto impossivel, como a terra seca quer a chuva. Sou a metade da cor do meu mundo, e a outra metade é você. Sou o sentimento que devasta todos seus pensamentos, e sou quem faz você se perder. Sou sua saudade que te faz chorar e sou a sua felicidade de me ver chegar. Sou nota de música e a maneira como ela te fascina.
Os meus olhos imploravam e os seus pareciam rir, e pareciam querer chorar. As palavras saiam, e eu me perdi no encanto do momento, chorando de alegria. Então um abraço, e como não sou de pedra, sempre te deixo vencer...



Foi pensando só em mim que eu pensei só em você...

sábado, 24 de outubro de 2009

Eu não sei parar de te olhar...

Desde o horizonte brilhante até o ultimo ponto azul do céu. Quantas noites chegaram sem que eu às visse? Quantas estrelas brilharam sobre o meu desprezo, arrancando minha atenção dos passos e fazendo-me olhar o céu, e então paixão. Como uma pessoa pode apaixonar-se por algo que sequer pode tocar? Olhe para o céu. O que você vê? Tudo e nada!
Te amar foi um refúgio, uma fraqueza, uma luz no final do tunel da solidão, uma janela no quarto escuro. Qual é a razão desse arroxeado tão bonito pelo qual me apaixono todas as tardes?
Seu carinho foi a estrela do céu!
Quando senti você a confusão triplicou e então, em um segundo, desapareceu. Cresceu e diminuiu. O tempo longe de você me fez prisioneira da saudade. Porque todas as pessoas me fazem lembrar algo, e você me faz esquecer tudo!
De hoje em diante não sinto o bater do meu coração, e sua voz é meu trovão, de cada singelo sorriso guardei o brilho dos seus olhos. De cada palavra não dita guardei o sentimento notado. Tenho medo de errar, mas você me faz ter coragem pra tudo. Hoje quero um abraço bem forte, uma palavra sincera e um sentimento existente! Hoje quero o céu, quero o Sol e todas as estrelas. Quero a Lua e quero qualquer brilho que me lembre seu olhar!

Eu não sei parar de te olhar...

domingo, 18 de outubro de 2009

O Sol sempre nasce para quem quer vê-lo.

Antes de tudo, agradeço a natureza, que me proporciona os momentos mais bonitos já vividos. Penso se um dia terei a chance de ver o mundo por vários ângulos, se terei a chance de me emocionar ao enquadrar a Torre Eiffel em minha maquina fotográfica. Penso se as estrelas brilharão com tanto entusiamo quando eu me deitar para observá-las. Temo que o mundo arranque de mim meus sonhos, meus planos, minhas esperanças. De uma hora pra outra pode ser tarde demais, a vida é um caminho, um destino a ser seguido. Um objetivo a ser encontrado, uma razão para continuar!
Vejo magia aonde quer eu olhe, imagino todos aqueles momentos e sei, que se um dia eu os realizar, serei a pessoa mais feliz do mundo por pelo menos um instante. E sentirei falta do que já passou, porque sentir falta é inevitável...
Penso na maneira como a vida pode terminar, com um estalo rápido sem despedidas, ou com inúmeras lágrimas e soluços desesperados. Penso na vontade de viver que me convence a nunca desistir, pois seria contra toda natureza que existe em mim, porque não seria eu, e tenho pavor de perder minha identidade.
Conheço muitas pessoas, tive alguns amores e amizades. Os amores passaram, é claro, como todo amor passa... As amizades de verdade permaneceram, e das que partiram, recordo-me como anjos que me ajudaram a erguer os olhos e ver que o mundo vai muito além do que se pode ver.
Anjos que me ensinaram que por trás dos obstáculos que tive de superar a vista é extraordinária! E que ninguém é digno de nosso sofrimento... Que errar ensina a viver, que quem chora é forte, que suicídio é covardia. Aprendi que o Sol sempre nasce para quem quer vê-lo.
Sorri como se fosse morrer no próximo minuto e amei cada momento como se fosse uma descoberta incrível. Como demorei tanto a ver o que é viver? Como me permiti sofrer por tanto tempo?
Como consegui viver sem toda minha alegria?

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Quarto escuro

Nas sombras me encontrei, que falta eu sinto da luz dos seus olhos, que são capazes de iluminar qualquer escuridão... Ao meu lado vejo o perfil de um livro e a saudade de um beijo, coisas que conheço tão bem! Quanto tempo pode durar um dia sem alguém? A música me faz lembrar que cada segundo machucou como palavras sinceras. E que a ausência de palavras também pode maltratar... Eu não imaginava um grande amor sem amor, um grande gostar sem expressão. Mas tudo o que eu já imaginei não é tão bom quanto a minha realidade. O que existiu antes perdeu toda a graça no momento em que acabou. O que acontece agora parece nunca merecer terminar, porque não existe motivo, não existe maldade. Tudo gira em torno de uma verdade inventada. Eu já lhes disse, não? Que quando se não se sente medo do fim, ele pode demorar bem mais pra chegar? E quando não se possui aquilo se tem, dá pra sentir ou pra entender?
No quarto escuro eu me vejo paralisada, escutando o vento forte arrancando as folhas das àrvores, derrubando sobre meu telhado imaginário pequenos pesos que assustam e espantam os pensamentos pra bem longe, e no encontro escuro, no perfume da pele, na saudade do momento.
Deus... como isso tudo me dói, como me fere...

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Se a vontade envolve e os laços soltam

Me sinto entorpecida, e a saudade transborda como lágrimas num momento de fraqueza.
E toda sua vontade de me fazer feliz parece grande demais para o meu campo de visão.
Se todas as horas passam assim, eu não me sentiria mal ao culpar alguém por me fazer feliz. Eu não teria nenhum medo e sua coragem me faria rir. Acho incrivel toda a atração que você exerce sobre mim.
Toda a igualdade dos meus dias seriam destroçadas pelo seu olhar involuntário. Eu não vejo como acreditar na vida se posso acreditar nas suas palavras.
Quando me perco nos seus sonhos me encontro em você. Dou risada e nego merecer tudo isso, é impossivel algo tão bom acontecer. E agora seu sorriso me guia, estrela da sorte...
E você me confunde com suas mãos tão fortes tocando o meu rosto e meu sentimento.
O mistério da sua voz... Agora se eu te pedir - se a vontade envolve e os laços soltam - que fique comigo por enquanto, prolongando cada minuto... Você abre mão dos seus planos por mim?

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

O que é saudade, se não querer?

Não quero mais pensar, tua saudade me faz chorar, cada lembrança sabe me machucar como um punhal. E se eu falhar, lembrarei de tudo o que a gente sonhava. Você consegue se lembrar que dedicou seus dias a mim? Consegue se lembrar de que sua vida pertencia a ela? E se eu lhe perguntar, se agora sua vida e minha, o que você responderia? Você e sua graça, seriam minhas? Porque agora, com toda nossa história, eu sei que preciso de você.
Não posso pensar nos olhos que já não estarão sobre mim, me vigiando. Não posso nem pensar nas lembranças que aos poucos acabariam, na absoluta tristeza que me abraçaria.
Eu não quero pensar nos momentos que não existem, não quero viver uma mentira inventada. Não quero a saudade de quem não tem, não quero o carinho de quem não gosta de mim. Eu só quero saber, de todos esses dias, em quem você pensou, em mim? Nos meus olhos? Já percebeu como eles ficam verdes todas as manhãs? E como brilham quando vêem você se aproximar? Já percebeu isso?
Já lhe contei de meus planos? Seria tudo muito bom se você estivesse comigo... Mas não me iludo, ao menos finjo que não, só eu sei o tamanho da ilusão que vivo, mas o que é a vida, se não ilusão?
E o que é paixão, se não viver? O que é saudade, se não querer? O que seria um abraço, sem ser você?

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Eu Poesia V

Tomara que a sua dor te convença de que é em mim o seu lugar. Que é só comigo que consegue ser feliz, e que serei sempre a pessoa rodeada por seus braços. Tomara que o seu sentimento transborde, e que você acorde pensando em mim, e que todo momento que viva comigo seja inesquecivel. Que deite todas as noites com imagens minhas em sua mente, e que sinta saudade o tempo todo.
Tomara que se lembre de mim sempre, depois de eu partir, depois de nos deixarmos. Mas me lembre como uma pessoa boa, que te fez feliz e sempre fará falta. Lembre-se dos meus olhos nos seus, e do que você vê neles, pois eu sei - você lê meus olhos -, e eu sei que você sabe, que neles, só existe você!
Eu espero que você saiba. Quero que olhe para o céu todas as noites e que acredite no nós que sempre irá viver dentro de ti, e de mim... Não peço que admitas isso, só quero que saiba, que em mim sempre vai existir um sentimento bom sobre você, uma lembrança boa.
Vou me lembrar das suas canções todos os dias, quando eu ver o céu, vou me lembrar de tantos nomes que recebi e quantas vontades me vi passar. Mas além de todas as lembranças, esquecerei do passado e lhe manterei em meu presente, por um bom tempo.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Eu Poesia III

Murchou minha flor de cabeceira
Queimou meu livro de pensamentos
Surtou com toda minha alegria
E dissipou todos os momentos

Você fugiu
Levou contigo tudo o que vivemos
E levou toda a minha tristeza
Agradeço-lhe, quando chegaste, ela estava aqui, e agora partiste levando a junto.

E me deixou
Mas agradeço-lhe, nunca me senti tão bem
Porque agora, sozinha estou
E sozinha ficarei

Se eu me lembrar de você
Fique tranquilo, pois a saudade não me maltratara
Mas se eu lembrar de você
Será somente por um segundo, rápido e frio, assim como você se fez (...)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Um momento de chuva

Caio sobre as casas, e em uma janela de luz fraca a vi. encolhida em um canto apagado, os olhos perdidos que jamais esqueci. Conheci sua história, suas dores e suas alegrias, por ela me apaixonei. Tristeza na noite, sua intensidade de sentir me tornou mais calmo para o seu coração ouvir... Escutei suas lamentações, suas canções no escuro, sua imensidão de medo, eu quis lhe dizer, menina, isso tudo é só a vida, algo que sempre vai acontecer...
Seu corpo tremia e eu quis lhe dizer, que se eu não fosse tão fria poderia tentar lhe aquecer. Ouvi os estrondos de minha fúria, raios brilhantes chocaram seus ouvidos frágeis, abraçava-se ainda mais.
Eu quis lhe dizer, menina, essa dor logo passa... Somente tenhas força para continuar!
Logo me vi passando, a tempestade estava prestes a acabar, me enchi de um pouco de sua dor, jamais a veria... Teria em meus sonhos a lembrança de sua imagem vazia. Gritei o mais alto que consegui, o som da fúria, abraçou teu corpo pequeno e tremulo mais uma vez, encolhendo-se.
Menina, eu caí numa pétala de flor pequena, que desabrocha como sua esperança de reviver.
Abra seus olhos, menina, pois eu adoraria saber a cor dos teus olhos, tamanha é minha dor, pois sou chuva, sou forte, mas não sou maior que minha dor.
Minha única verdade é que espero pelo dia em que em teu rosto minhas gotas irão tocar. Minha única lembrança é a noite fria em que te vi chorar, linda menina, que em tão poucos segundos me fez o momento mais feliz.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Qual é a graça de viver morrendo?

Uma palavra que soa estranha em nossa própria voz, nós nos encontramos, no meio da desilusão, de olhos fechados, olhos cansados, você olha ao seu redor e não quer, não quer viver aquela realidade, porque aquela realidade é dura demais. Tenta permanecer oculto, mas não se oculte, identifique-se. Viver é um fato incrivel, desejo que não perca seu tempo chorando, se querer é poder, seja feliz. Eu vivi um sofrimento que eu escolhi, um sofrimento que hoje não me completa. E por mais dificil que seja, chega a hora de recomeçar, secar os olhos, reconstruir nossos sonhos e planos, e vivê-los. Porque sofrer lembrando de algo que te fez tão bem? Isso devia ser um fato bom... Pode ter acabado, mas aconteceu! E... Afinal, qual é a graça de viver morrendo?

domingo, 13 de setembro de 2009

O único coração que me faz viver, é o meu!

Dos dias tristes, noites frias e momentos pequenos que eu passei, hoje tenho vagas lembranças. Sorrisos que já não merecem serem lembrados, então eu penso no futuro, no presente. No que será e no que é!
Penso nas noites quentes, no vento frio que já não me gela. Penso nos capitulos da vida, os que já vivi e o que aos poucos escrevo. Sou tempestade de palavras, mas não sei falar de mim, palavras de quem não é tão importante me fazem ver que me conheço pouco demais pra ter uma base de quem sou. Mas não me importo, terei muito tempo pra descobrir. Encanta e some, ponto fraco. Mas tenho um coração corajoso, não desisto assim tão facilmente, não antes de tentar e cair várias vezes. Dizem que quem quer consegue, não é? Decepções nunca me fizeram uma pessoa mais fraca, e foram tão poucas vezes as que desisti, que nem me lembro.
Não tenho disfarces, não abaixo a cabeça nunca, sou forte, sou por acaso. Fiz descobertas que mudaram minha vida, uma delas, é que o único coração que me faz viver, é o meu.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Cartas de um presente bom!

Algo que você quer e não quer ao mesmo tempo, que você teme e não pode evitar querer.
Uma felicidade incontável, incrivel otimismo de viver!
Tenho visto o pôr-do-sol, olho estrelas e acerto na Lua todo pensamento. Olhar pro céu acalma, ouvir melodias também, já não tenho lido, só pensado. Inventado. Não procuro me encontrar, mas não me sinto perdida. Me sinto muito bem com minha própria companhia, de volta ao começo, sempre foi assim...
Descobri felicidade onde nunca imaginei encontrar, tenho visto muitas saudades, lembranças deixadas pra trás. Lembranças que já não fazem chorar, não magoam, não chateiam, só se fazem lembrar por alguma palavra ou outra, só fazem sorrir, por serem boas, por serem poucas.
Dias que já passam normalmente, noites que vem e vão, acabam e voltam, nos sonhos, nos abraços. Um rosto alegre demais pra ser descrito em palavras. Uma saudade pequena demais pra ser lembrada, e por enquanto não vale a pena lembrar. Eu só não sei descrever o tamanho da alegria que eu sinto agora, e preciso continuar assim, pra viver.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Memórias de um presente cruel

"As vezes, construimos sonhos em cima de grandes pessoas... O tempo passa... e descobrimos que grande mesmo eram os sonhos, e as pessoas, pequenas demais pra torna-los reais! (Bob Marley)"

O que falar quando nenhuma palavra parece forte o suficiente pra demonstrar o que se sente? Devo ser masoquista, ou algo do gênero, porque não sei. Não sei o que pensar, o que falar... Não sei o que sentir, simplesmente não sei. Não sei se vivo, mas sei que me levanto. Sou forte, e talvez sempre tenha alguém pra me ajudar. Talvez sempre tenha... Talvez pra sempre dure. Talvez nunca se acabe! Já lhe falei, das cartas? Eu fiz cartas... Muitas, muitas cartas! Fiz sonhos, escrevi... Me perguntei, 'em que situação cheguei?' Olhe o que eu fiz comigo, já não posso ver, minha visão esta borrada, borrada demais, e eu quero sair daqui, quero sorrir de novo, com toda sinceridade que eu nunca tive e tive ao mesmo tempo. Com toda alegria, e falar que eu fui feliz, e vou ser muito mais. Porque eu vou, só preciso manter essa esperança aqui, e eu sempre mantenho. Sempre.

sábado, 29 de agosto de 2009

Mais uma vez...

O mais belo luar, ao anoitecer de meus olhos cansados. eu deveria poder viver uma noite tão colirida, de céu na cor dos olhos impossiveis. na cor do mar e flor, dum beijo e gosto, saudade impulsiva.
Pares de olhares, duzias de centenas, qual o número equivalente ao abraço mais protetor?
Prefiro não pensar, mas minha mente involuntária não me obedece, já não me favorece, me leva pra longe de mim a todo momento, cada saudade. Saudade. Mais uma vez...
Refiro-me às estrelas, que deste céu colorido foram ocultadas, como nuvens vermelhas que brotam do frio    , as cores transformam-se em lágrimas, há alguém que chora!
Antes, dissera-me que triste era quem chorava, hoje, digo-lhe que quem chora também tem a capacidade de sorrir e força pra enxugar suas próprias lágrimas.
Mesmo se o meu céu colorido escurecer, perder a cor, e a lua minguar, e as estrelas voltarem... Não reclamarei, mas terei a certeza de que o meu diamante brilhante, mesmo no céu escuro não deixará de brilhar, pois mesmo que não esteja ali aos meus olhos, existe.
E isso já me fortalece.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Céu apagado, cobertores gelados, e agora? Agora nada mais aquece, nada entristece, nada.
Hoje os números desaparaceram, as palavras ficaram mudas, só o silêncio. Sem gestos, sorrisos, abraços, nada disso, só o céu apagado e o cobertor gelado. E minha solidão.
Mas desta não gosto de falar, embora seja do que mais falo.
Queria tocar meu violão, sentir a alegria de minhas poucas notas, poucas, rápidas. Parar de sentir medo, colar no teto do meu mundo uma estrela que brilhe mais, e um sonho que me ajude a realizar. Quero encontrar a graça que me faz rir, de tudo que me faço lembrar. Insistir em acreditar, das vontades que sinto ao fechar os olhos, ao olhar pro nada.
Nesse mundo acinzentado, toda a cor que vejo se limita a poucos grandes momentos. Da alegria que vive na profundidade do meu inconsciente, aguardando o momento certo pra se expandir. Aquarela de sentimento, impressão de sofrimento.
Olho pela janela e tudo que vejo é o céu, um céu triste e nublado, acinzentado, sem nenhum pássaro, nenhum vestigio de vida ou de alegria. Posso sorrir, adoro quando o céu fica assim.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Incontável

Saudade, saudade do amor, saudade dos irmãos, amigas, saudade daqui, saudade de vocês, saudade de mim. Simples saudade, forte como nada e grande como tudo. Perdi minhas contas, de números, de sonhos, de vontades, de gostos. Perdi a conta das horas, das estrelas, das fotos, das folhas. Recortes e cores, perdi minhas contas, quilômetros, dias, medos. Tudo.
As vezes é bom, perder a noção de tudo e de nada, ficar com a mente livre, só por alguns minutos, mas é dificil, dificil porque tudo me leva a única pessoa, e já estou mais uma vez falando dela. Saudade, de novo a saudade.
Andei contra o vento, que me impede de voar, andei em direção ao anoitecer, que me impediu de chorar, mas não por muito tempo. E as páginas, quantas páginas foram? E palavras? Risadas? Lágrimas? Incontável, é tudo incontável...

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Cansei-me deste tom gris, cansei-me desta Lua fria, desta noite solitária.
Cansei dessas frases, folhas, riscos sem sentido. Cansei desses dias...
Cansei de falar sempre sobre a mesma coisa, quando tudo parece piorar.
Cansei dessa falta de cor, ausência de flor. Hoje eu quero um abraço, quero dormir e sonhar, sem nada nem ninguém pra despertar...
Cansei dessas vozes, desses gritos e sussurros. Cansei desse céu azul, quero chuva de estrelas, pontos brilhantes caindo do céu. Quero mais vontade, mais saudade... Quero menos dor, menos agonia.
Quero um sorriso nesse silêncio ensurdecedor, quero compania nesse pôr-do-sol, porque assim me dá vontade de chorar, saber que a distância existe e não acaba. Porque a intensidade desse momento é mais forte que o vázio que me cerca.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Até que se prove o contrário

Dos meus olhos caem lágrimas compostas de uma alegria sem tamanho, um desespero de medo, e os sonhos de quem acordou à muito...
O céu da insônia de quem só olha, da cor escura que se transforma num dia, em horas. O pouco tempo em que se pensa na eternidade da vida, até que nossos olhos não vejam nada. A partir do momento em que o mundo parar, e os dias cansarem. A partir do momento onde tudo se acaba e se inicia uma nova história, uma história melhor... Os pensamentos da pessoa que me mudou a vida, e o mundo, o céu, as estrelas e todos os astros que perto de ti nada são.
O meu toque de poesia, a escuridão que me observa, me cerca... A força que ilumina, o tempo que não passa, os dias que não existem e as noites que não aconteceram...
E a graça, a graça que eu acho desses textos que começam falando de mim e sempre terminam falando de você, inevitável!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

A história...

Tanto quis, tão pouco encontrei. E aos poucos me levantei, senti o pouco se transformar em muito, e o muito se transformar no incontavel. Senti, senti meus olhos, minhas mãos, logo sorri. Não pensei em desistir, mas tão pouco tentei, lutei contra todos os sentimentos de culpa, tristeza e angustia, então senti meus olhos, minhas mãos...
A história se repete infinitamente até que a mudemos, então faremos de nós mesmo os nossos sonhos, e das nossas conquistas a maior das alegrias.
Logo acreditei que todas essas frases, e os livros, e as músicas, todas essas coisas, toda essa poesia, esse mundo, quando o tempo passa e as folhas do outono caem no chão, e o frio do inverno, e as flores da primavera, e tão pouco o brilho do verão, e chuva de verão, a Lua cheia de todos os meses, e cada dia da semana... Logo acreditei na importância de cada batida.
E nas dores de cada partida, mas ei, hoje eu quero algo feliz!

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Preciso

Eu quero ficar aqui só te olhando, de longe ou de perto, preciso dos seus olhos pra encontrar os meus, preciso da segurança que você me traz. Preciso de você, da sua voz perto de mim.
Preciso tanto que chego a me sentir mal, pois nunca pensei precisar de alguém assim, preciso te encontrar, te abraçar. Te encontro nos meus braços, nas lembranças, te encontro ao meu lado, sorrio, lembranças... Te encontro nos meus olhos, pois te vejo por traz deles, e imagens tenho a todo momento, te tenho comigo.
Mas mesmo assim, eu quero ficar aqui só te olhando, pra quando você partir ficar lembrando, sorrindo, chorando...

sábado, 25 de julho de 2009

Só fale...

Fale que me ama,
fale que sente saudades,
fale dos meus olhos,
diga que se sentia bem ao meu lado,
e que várias vezes sonhou estar me abraçando.
Fale que várias vezes digitara meu numero mas teve medo de discar,
medo de saber que eu havia lhe esquecido,
diga que tinha medo da certeza de ter me perdido,
de nunca mais me ter em seus braços,
ou então só diga que me ama e que sente minha falta,
e lhe falarei das minhas noites frias e sozinhas que passei chorando por não te ter.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Eu poesia...

Sinto falta de coisas que nunca tive. Me machuco com pouco, que as vezes considero nada. Sorrio por motivos tão simples que as vezes chego a me confundir. Essa sou eu?
Eu com uma parte de você, que forma o nós e o pra sempre. Eu com a saudade que sinto, o medo que tenho. Eu com sonhos diferentes, gostos iguais. Eu feliz.
Eu sem limites, sem desculpas. Eu poesia. Eu de lembranças que virão, premonições do passado. A escuridão que me assusta me ajuda a te encontrar, nas estrelas, no sorriso da noite. A lágrima de emoção, de dor, que me faz te perder, é a mesma que me traz felicidade quando te vejo chegar. A flor da esperança que me traz a paz quando estou longe do teu abraço. O sorriso ao lembrar, a vontade de sonhar... Eu nunca vi ninguém viver tão feliz!

terça-feira, 21 de julho de 2009

Aconteceu

Por mais que estivesse triste nunca deixei de sorrir, e por mais que estivesse feliz, nunca deixei de chorar. Quando você ama uma pessoa e esta lhe da seu coração, entregue a ela sua alma. Por mais que você tente explicar o sentimento, jamais conseguirá, um amor é sem limites, e quando se explica algo, este é limitado. Não conseguirá explicar a felicidade, e muito menos a tristeza.
Nenhum sentimento ou sensação, quando real é explicável. Não se explica o vento no rosto, o sorriso nos lábios, as mãos entrelaçadas. Por isso ame sem limites, sem explicações, ame como eu amo, ame de verdade, não tenha medo de cair, você irá levantar! Não tenha medo de chorar, de sofrer, pois toda dor é passageira, e cada segundo é eterno enquanto vivido ao lado de quem se ama. Seja uma pessoa viva, tenha uma vida alegre, esteja com quem você gosta e aproveite cada momento com toda intensidade, quando algo tiver de acabar, não reclame. Agradeça, aconteceu.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

... ♥

Diga que me perdi, que em teus pensamentos estou, que nada mais importa... Fale do ritmo de uma canção, dos seus dias me esperando, do teu tempo perdido. Fale dos seus medos, suas incertezas. Fale o que pensa, mas não fale o que me magoa, fale o que me faz bem, porque hoje eu não quero perder essa alegria por nada.
Abri meus olhos e me deparei com a luz do Sol invadindo meus pensamentos, por um segundo tudo foi apagado e voltou ao normal, então minha mente foi invadida por lembranças felizes, do tempo em que nada mais importava quando estavamos juntos.
Papeis e livros espalhados por um quarto confuso, memórias em uma mente qualquer, desenhos, rascunhos de um história inacabada, lembranças do abraço que eu tanto gosto, e das batidas do seu coração, isso que não tem preço, que eu não deixo de ouvir jamais.

domingo, 12 de julho de 2009

Você

Procurei algo para comparar com a falta que você me faz, algo que tivesse importancia o suficiente pra mostrar o quanto preciso de você. Mas a unica que coisa que encontrei é bem maior, o meu amor. O meu sentimento inestimável por você, que cresce a cada dia que passa, e cada noite que eu enconsto meu rosto no travesseiro e suspiro, saudade...
Então eu me pergunto por que continuar aguentando tudo isso, por que não sair pela porta e ir ao teu encontro, você não esta tão longe que eu não possa te alcançar... Porém, toda e qualquer distância é grande o suficiente pra falar que você esta longe. Eu só queria você aqui, me abraçando, encostar meu rosto no teu peito e colocar meus braços ao seu redor... Eu poderia ficar assim pra sempre.
Isso que eu sinto é mais forte e mais incrivel do que eu jamais pude imaginar. É demasiado intenso, especial. É tudo... Tudo! :)

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Permanece.

Eu queria ter forças pra não desistir, mas quando vejo esse teu olhar o resto é resto. Notei que quando temos em quem pensar tudo se torna mais bonito. E quando o pensar se torna tão intenso quanto respirar... Não tem explicação.
Quando até o pior pesadelo se torna bom, por sentir dois braços te segurando, e por saber que eles não vão soltar, e daquela forma você suportaria tudo e enfrentaria todos, pra nunca acabar.
E querendo ou não você se vê numa situação onde nunca imaginou estar, e o mais estranho é que você gosta, e quer... Quantas mudanças e consequencias. O sentimento mais incrivel, e pode o mundo duvidar de tudo, só uma pessoa precisa estar aqui, precisa acreditar...
A saudade que inunda o coração traz consigo o medo de perder, e esse é o unico medo que permanece, porque de alegria é feita uma vida que tem amor :)

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Do fundo do inconsciente...

Histórias, grandes sonhos. Quantas vezes mudamos de rumo e nem sequer percebemos, por quantos obstaculos passamos sem notar... Sem saber de que somos vitoriosos pelo simples fato de continuarmos vivos, por sorrir, por continuar tentando.
E quantas vezes deixamos de tentar por medo de errar, quantos universos deixamos de conhecer... A saudade tem fim? Quando nos sentimos sozinhos um abraço é capaz de curar a solidão e acabar com a dor que habita no peito? E as palavras que saem do fundo da alma, que foram lidas por alguém em alguma tarde cinzenta... Publicadas em um sonho que se chama História, adoradas por todos aqueles que um dia pensaram não se dedicar a velhas paginas de um livro apagado.
E do fundo do inconsciente desperta a lembrança de um sorriso, escreve alguns paragrafos e se sente tão bem...

terça-feira, 30 de junho de 2009

O tempo esta passando, como quem nunca viu o sol nascer sinto o vento em meu rosto, cada dia, cada minuto... Cada imagem inventada e pensamento criado. Conforme sinto o sentimento aumenta sinto que nunca deixara de crescer, e é forte. Espero por dias melhores, dias juntos, dias alegres. Talvez seja pedir demais, mas pedir felicidade é pedir mais do que se merece?

domingo, 28 de junho de 2009

Escolha.

Já passei meses pensando no que eu queria e no que eu não queria, no que gostava e no que não gostava. Não sentia medo, nem tristeza, nem alegria. Era vázia e solitária. Não me importava com nenhum desses sentimentos. Ser solitária era uma escolha, por mais que eu tivesse explicações, no final diria: eu escolhi.
Assistia, lia e ouvia histórias de amor, minhas maiores emoções eram baseadas em senas que foram inventadas por alguém solitário demais ou feliz demais pra guardar suas idéias pra si próprio.
Me imaginava daqui a alguns anos, em algum lugar do mundo que hoje é desconhecido, num apartamento não muito pequeno, uma estante na parede cheia de livros, uma flor na cabeceira da cama, uma mesa coberta de folhas, um café do outro lado da rua, um "bom dia" todas as manhãs, casacos, cachecóis.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Saudade.

Sinto o vento que carrega para longe de meus olhos as poucas lágrimas que dali brotaram, é a saudade, saudade que não cabe no peito. Quando algo é forte demais causa lágrimas acompanhadas de um sorriso, lembranças e rapidamente tristeza. Embora a alegria de saber que é amor traga uma felicidade imensa e incontavel, a tristeza não deixa de habitar.
E cada dia passa mais devagar, só pela espera, saudade.
Algumas vezes se torna dificil, é doloroso e profundo. Mas quando se quer algo com todo o coração o mundo conspira para ajudar. Mesmo que as noites passem lentamente, sempre vejo a alegria de acordar e sorrir por alguém que mesmo longe se torna presente.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Simples.

Suporto, suporto tudo o que tenho que suportar. Leio o que tenho vontade e escrevo o que sou.
Não, eu não tenho nenhum rótulo, eu só vivo do meu jeito, rio do meu jeito, falo do meu jeito, me calo do meu jeito... Sou simples, não tenho grandes mistérios, mesmo que as pessoas digam que sou um total segredo. Sou facil de entender, por mais que tenham falado que nunca me entendem.
Tenho sentimentos fortes, sou intensa. Arrependimento dói na pele e arde nos olhos. Saudade maltrata e fortalece. Já senti falta de algo e não sabia o que era, hoje sei. Falta de mim, a parte de mim que eu encontrei em você.

Romantico demais, auto-biografico demais, sem graça demais \o

sábado, 20 de junho de 2009

O tempo

Posso ouvir as batidas de seu coração, posso sentir cada vez mais forte esse sentimento.
Cada noite que termina traz a alegria de que um dia a mais se passou, e agora o tempo não sera tão longo, a esperança de que não seja lento.
Quando esperamos por algo ansiosamente, o tempo passa de vagar. As horas são meses e dias são milênios. Cada minuto é esperado, cada momento é imaginado instante após instante.
A única tristeza é lembrar que a distância nunca deixa de existir, mas ela não nos faz diminuir.

domingo, 14 de junho de 2009

Me recuerdo

Lembro-me de tudo antes de você como lembranças de um passado distante, quando eu me deitava não tinha em que pensar, pensava em livros, musicas, pensava em lembranças de risadas sinceras, dava saudade...
Não tinha uma realidade feliz, não tinha um motivo pra rir. Então alguém me perguntava:
- Porque você tá triste?
E tudo que me vinha a cabeça era, 'porque não tenho nenhum motivo pra ficar feliz'. E eu falava:
- Porque não tenho nenhum motivo pra ficar feliz.
Até que pararam de perguntar, e eu de me importar.
Encontrei inspiração nos momentos cotidianos, na saudade e no futuro imprevisivel. Encontrei inspiração em mim, nos meus sentimentos e na falta deles.
Hoje encontro minha inspiração em você, meu melhor motivo pra ficar feliz.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Flutuando.

Sonharei bem alto, viajarei pelo mundo, tocarei todos os instrumentos e falarei todas as linguas.
Rirei de tudo e chorarei por pouco ou nada. Lutarei contra a saudade e escreverei vários livros. Olharei o céu todas as noites, não esquecerei de agradecer por nada. Não desistirei e não incentivarei ninguém a desistir. Sentirei falta das pessoas, abraçarei meu próprio corpo se for preciso. Fotografarei todas as paisagens e guardarei em minha mente cada momento. Irei ler jornais e tomar café. Pintarei um quadro e publicarei um sonho.
Então voltarei pro meu Brasil, lembrarei de tudo e sentirei saudade de todos os lugares do mundo. Escreverei mais um livro e nele colocarei todos meus sonhos, pensamentos, fotografias e pinturas. Agradecerei à tudo e todos, então olharei pro céu e abraçarei meu próprio corpo pra não me sentir sozinha.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Es el dolor.

No horizonte brilha uma estrela que jamais apareceu, ao vento as chamas do Sol foram apagadas. No silêncio da noite os braços se encontraram tentando aquecer em vão um corpo que não sobreviveu a dor...
Na persistência de um sentimento, na loucura de um momento, do choque de um abraço quente... Acendeu uma estrela no horizonte, refletida na imensidão de água, na vastidão do céu, escuridão sem fim...
Dias sem cor, minuto sem vida no ponteiro de um relógio apagado da memória. Flor sem perfume, vento sem força...
Cada segundo e cada esperança, quando o amor chega devasta o peito, tomando conta de um coração que para de bater e passa a amar. O comum desse sentimento é fazer feliz, o único sentimento que tem força pra ser comparado ao amor é a dor.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Todo es igual

Tentando acreditar que o tempo passa rápido pra não tentar adiar a agonia de esperar... Esquecer as noites e dias vázios onde eu pensei desesperadamente em dormir até que a distância acabe.
Então eu acordo e vejo que está no mesmo quarto com as mesmas esperanças, as mesmas saudades e as mesmas lembranças.
Saudade constante, como lembranças que eu imagino e queria que tivessem acontecido, como várias premonições que passam por minha cabeça e se resumem em um demorado abraço.

sábado, 30 de maio de 2009

Como yo...

Perdida em seus pensamentos, ela passa e não olha.
As mãos nos bolsos, andando contra o vento frio, fones no ouvido e a cabeça em algum lugar distante.
Ninguém sabe, ninguém se atreve a saber, o que se passa atras desses olhos profundos. Misteriosos. Ninguém imagina que o que ela parece ser está longe do que é de verdade.
Andando em passos rápidos e largos, sem olhar pra ninguém, sem notar ninguém...
Então ela sorri sozinha, lembrando de alguém que fala de uma forma engraçada, uma pessoa que ela não imaginou que não lembraria com tanta frequencia, e que sentisse tamanho sentimento.
Como se não existisse mais ninguém naquela rua pra ver seu sorriso rápido. Em passos largos, logo ela se foi e não voltou.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Se fue.

Me sinto leve, sozinha.
Como se tudo e todos tivessem sido apagados de minha mente, cada palavra dita e ouvida. O que eu via era o seu rosto, a única coisa que existia em minha mente era você.
Então eu te procurei. Vaguei, solitária, por dias e noites, sem entender o porquê de nada, tudo era tão novo, mas o teu rosto não saia da minha cabeça. Como se meus olhos tivessem procurado os teus durante toda a vida.
Eu não sabia como, nem onde, nem quando, mas era como se durante todos os dias de minha existência eu tivesse esperado por você, com olhos vazios, o coração batendo rápido.
Te procurei em cada ser, cada rua, cada lugar por onde passei, tentei te encontrar sem ao menos saber quem você era, de certa forma eu sabia que você trazia minha felicidade nos lábios, tudo o que eu precisava era te ter por perto, e saber que em todo mundo, fui capaz de distinguir o brilho destacado de seus olhos.
Não fui forte o suficiente pra desistir do que a vida destinara a mim, por um longo tempo tive medo de um dia acordar e ver que teu rosto sumira de minha mente e nunca mais voltar a sonhar com você.
Então, do nada, você estava ali, na minha frente e já não era um sonho, você me olhou e eu esperei que aquele segundo durasse toda a eternidade por saber que você estava me olhando.
Então você sorriu, e como eu esperava, nos teus lábios estava toda a minha felicidade.
E como eu sonhara, você não se aproximou de mim, só ouvi tua voz num movimento rápido;
"Que bom que você chegou a tempo, mas agora preciso ir, espere por mim, preciso procurar algo que me faça merecer esse teu sorriso."
E partiu.

terça-feira, 26 de maio de 2009

No dice nada.

Não acreditava em horoscopo, ria e chorava sozinha. Desenhava e recortava roupas que adorava usar, pintava seus All Star's e amarrava laços coloridos em sua mochila.
Ninguém a considerava criança - só seus pais -, ela era assim porque gostava, porque sonhava. Tinha vontades que escondia e segredos que nunca ninguém soube ou sabera.
Compos musicas que nunca ninguém ouvira. Teve sensações que a muito não sentia, sentiu falta do que pensou estar livre. Teve vontades que precisou matar.
Chorou por motivos que nunca imaginou chorar, leu livros que imaginou que não leria. Pagou preços que antes não pagaria. Sonhou o que ainda pensa em realizar.
Escreveu histórias que nunca pensou que poderia criar. Riu sem motivos e chorou por motivos que não gosta de falar.
Precisou de um abraço e não teve, tantas vezes. Ouviu o que não ajudou, se calou.
Chorou sorrindo, riu do motivo de suas lágrimas. Viveu e desejou não viver.
Quis voltar no tempo.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Baseada en un Best-Seller

Poucas palavras, nenhuma explicação. Ele se foi, e nunca mais voltou.
Desapareceu por entre as arvores e levou consigo todas as suas lembranças, todo o amor que ela sentiu em sua vida. E levou consigo todos os seus sorrisos, e todos os seus abraços.
A partir daquele momento ela sabia que nunca mais o veria, e que jamais o esqueceria.
Deixou de viver, e de sonhar, não tinha vontades e não procurava ter.
Temia que algum dia, alguma noite, com o cansaço de esperar que ele voltasse, se esquecesse do seu rosto. Temia que algum dia acordasse e não lembrasse porque ainda continuava viva - e sabia que o unico motivo era a esperança dele voltar.
Ele a deixou, ele a deixou e ela sabia que jamais voltaria a sorrir, jamais voltaria a sonhar.
Só amaria, amaria porque era feita disso a sua vida. Amaria porque não queria acreditar que tudo o que viveu não voltaria. Amaria porque sabia que se não amasse, nem sequer existiria.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

A tu lado...

Ouço as horas passando pouco a pouco,
como gotas de chuva na janela.
Ouço os ruidos da minha lamentavel dor,
como gargalhadas ecoando no infinito.
Se eu pudesse ao menos ter certeza do que eu sinto.
Se eu pudesse ao menos ter esperança de você sentir o mesmo...
Enquanto lembro da tua voz, dos teus olhos e meus beijos, do teu riso, teu abraço e teu cheiro...
Me sinto terrivelmente abalada sem você, é como se...
A minha alegria tivesse ficado ai, do teu lado.

'... eu vejo nas horas o que não se vê, me perco lá fora, pensando em você... '

sábado, 16 de maio de 2009

Hacia frio.

Estava frio. Estava frio e eu não sentia. Não sentia nada... Felicidade, tristeza... Nada.
Só o vazio me consumindo aos poucos.
Acredite no que te faz sentir, e sinta.
Eu não me considero uma pessoa triste, nem feliz. Posso dizer que sou uma pessoa vazia.
Solitaria.
Pedi a Deus felicidade, pedi que me desse força pra levantar a cabeça e sorrir.
Ele me concedeu metade do pedido.
Nunca imaginei que um dia pediria isso, e sempre pensei que ele estaria ocupado demais pra me ouvir, afinal, são tantas guerras, violência, fome... Mas ele atendeu... E aqui estou, vazia e sorrindo.
Que culpa eu tenho, de ser tão feliz? De ser infeliz e não deixar de sorrir?*

(*Créditos: Nany.)

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Vida, sueños, esperanza.

Livre em um mundo de palavras, presa em um mundo de guerras.
Sentindo medo do que não existe, saudade do que nunca aconteceu.
Olhando nos olhos de alguém que nunca viu.
Eu não sabia, nunca imaginei o mundo aos olhos de alguém que sonha.
Enquanto as pessoas dançam e cantam, eu olho para um céu de estrelas, iluminado pela Lua.
Enquanto as pessoas matam e morrem, eu olho pro horizonte de cor arroxeada, me perco no pôr-do-Sol.
Começo a imaginar, porque aos olhos de alguém que sonha tudo é possivel.
Começo a desenhar, porque aos olhos de alguém que sonha nada é impossivel.
São riscos irregulares e cores inexistentes. Palavras nunca ditas.
Livre em um mundo de palavras, enquanto as pessoas matam e morrem, eu olho pro horizonte de cor arroxeada e me perco do pôr-do-Sol.
Então eu imagino, o fim das guerras, dos medos... Porque aos olhos de alguém que sonha tudo é possivel.

domingo, 10 de maio de 2009

Silêncio.

- Eu tenho que ir, mas não quero...
- Porque você não quer ir?
- Porque lá é vazio...
- Mas você não disse que tinha um monte de gente?
- Tem...
Silêncio.
- Tem gente e é vazio.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Un mar de pensamientos...

Procurei inspiração no brilho forte das estrelas. Sorrisos e lágrimas.
Procurei nas mais distantes profundezas de um mar de pensamentos.
Como se soubesse o que procurava, encontrei você.
E você sorriu, o seu sorriso não era o mais encantador e nem o mais marcante, mas era o que me deixava mais feliz. Você não era nenhuma hipotese do que um dia eu sonhei, mas foi você que eu encontrei, em meio a uma multidão.
Me perguntei muitas vezes se o que eu o que eu vivia era real, e o porque desse sentimento, sendo que eu fui sempre tão inabalavel.
Então por um segundo eu fechei os olhos e sorri, pedi que nunca amanhecesse, pra olhar as estrelas e lembrar de você.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Capaz.

Quanto ao frio, esqueça-o, finja que não o sente.
Você mesmo sabe que aguentaria. Aguentaria a pior das temperaturas.
Porque você aguenta as piores dores.
Eu sei que você é capaz, capaz de esquecer tudo o que lhe fez tão mal;
E seguir em frente.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Platonico, yo sé...

Ultimamente tenho pensado mais no momento, e quando vier a consequência já sera depois.
Mais uma vez eu cansei de fingir que nada sinto e nada tenho.
Sei que vou me arrepender depois, eu sei. Mas eu tenho tentado viver um minuto após o outro.
Pensando somente nesse momento e esperando pra sofrer depois.
Não me importo com a ilusão, não mais.
Eu vejo nas estrelas o que se oculta na escuridão da noite, eu sinto o seu perfume que é o vicio que me aterroriza.
Eu sinto o teu abraço que é o alento da minha dor.
Ouço as musicas que você gosta e procuro nelas vestigios de um sentimento escondido e nada encontro. Porque eu sei que não existe nada, mas eu não me importo.
Não me importo com as vontades, os desejos.
Não me importo com a dor, quando te tenho por perto é como se o mundo fosse esquecido ao nosso redor.
Mesmo eu sabendo que você não sente isso, mesmo com tudo isso...
Eu não vou lutar contra força alguma. Não vou.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Sueños tramposos.

Não me via em lugar nenhum, não sentia a minha falta.
E de uma hora pra outra tudo mudou, e eu me tornei uma coisa importante. Notada.
Sorria pra não chorar e hoje não finjo, mas nem por isso deixei de chorar.
Nem por isso deixei de sorrir.
Quando me sinto sozinha tento me convencer de que eu convivo bem com a solidão.
As vezes tenho medo de que você se machuque mais, e que volte pra mim.
E volte falando de suas tristezas, porque você não sabe o quando dói ouvir você falando dela.
Mas eu apoio você, quero que seja feliz. Acima de tudo feliz.
Com qualquer pessoa que te faça feliz.
Eu sonho com você, e quando acordo me sinto culpada, sentir isso por você é trapaça.
Trapaça comigo, mas à quem eu posso reclamar se quem trapaceia sou eu?
Sem querer, mas eu.
Não posso mudar, mas não posso culpar mais ninguém.
Só você, por ser assim. Tudo o que eu sempre quis.

domingo, 12 de abril de 2009

Tan distante y tan cerca

Te sinto tão distante e tão perto, como se a pouco distância que nos separa fosse imensa, maior do que se pode imaginar. Gostaria de poder te abraçar e falar que eu jamais vou te deixar e que nunca quero te ver triste. Mas eu não posso impedir que você viva seus sentimentos.
Porque você está tão longe e tão... tão perto.
Como se você não quisesse ser tocada, não quisesse ser vista.
Eu me pergunto o que te levou a fazer tantas coisas, tantas coisas que hoje te atingem de baixa guarda.
E quando você sente o medo tomar conta do seu sangue, por favor resista. Resista porque eu não quero te ver chorar, não quero nunca te ver chorar. Quero que você viva eternamente em felicidade incontavel.
Quero que você sinta o Sol na sua pele e lembre como é sentir calor, quero que sinta a chuva em seu rosto e lembre como é bom senti-la. Eu quero que você chore de alegria pelo menos uma vez em tanta tristeza.
Quero que você se sinta bem, feliz, quero que você nunca deixe de sorrir, nunca.
Quero que volte a ser a pessoa que eu vi sorrir pela primeira vez pela simples frase: 'Eu amo eles'. Não sei se você se lembra, mas eu não me esqueci.

sábado, 11 de abril de 2009

La historia de un libro.

Sinto o medo em minha voz a cada palavra que me ouço pronunciar.
Sinto o frio da minha pele todas as noites.
As vezes imagino que toda essa vida é uma história inventada, a história de um livro acontecendo em algum lugar do universo.
Onde as pessoas assistem, riem e choram das nossas emoções, nossos sentimentos.
Sentem raiva e pena de nós.
Então eu me imagino em um sonho de alguém, uma história que alguém quer ter, viver.
E me pergunto se sinceramente alguém um dia quis viver alguma coisa comigo.
Me debruço na cama e sinto meus pensamentos irem pra longe, muito longe.
Em alguma história de algum livro que eu estou lendo, e fico imaginando, se essa história acontece em algum lugar do universo. Onde eu rio e choro das emoções alheias, de seus sentimentos. Sinto raiva e pena deles...

quinta-feira, 9 de abril de 2009

E ali fiquei, hipnotizada, tanta beleza e brilho, saudade e vontade.
Ouvi a melhor das melodias enquanto observava a melhor das belezas.
E então senti a solidão que me cerca, previ que ela voltará.
Ela voltará e demorara a ir embora mais uma vez.
Mas eu não me importo, não me importo que pra ser feliz tenha que haver saudade.
Eu sinto saudade de quando era feliz, feliz de verdade, sem medo.
Sinto saudade de quando eu era feliz e não sabia, e não tinha motivos pra reclamar e reclamava.
Se pudesse voltar talvez não mudaria nada do que aconteceu;
A única coisa que eu faria era aproveitar mais cada minuto, cada instante.
Porque eu sinto falta de cada segundo que vivi e deixei pra traz...
E sinto falta dos momentos que não vivi, daqueles que tanto sonhei e vi cair no chão aos poucos.
Mas eu ouço aquelas palavras e me acalma, pedi a Deus felicidade a todos.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Me di cuenta de que estaban alli

E então eu tinha muita saudade de você.
Quando te vi, numa mistura de emoções, chorei e te abracei.
Me senti ridícula fazendo isso mas o ridículo as vezes é tão bom.
E quando eu vi que você não desmanchou na minha frente percebi que não era um sonho - embora parecesse - me dei conta de que você estava ali.
E fiquei, chorando entre lágrimas, sem saber o que fazer.
E do nada pareceu que nunca nenhuma separação aconteceu;
E a distância nunca existiu.
Era nisso que eu queria acreditar, a inexistência da distância.
Porque eu detesto ela, com todas as minhas forças;
Como se isso me consumisse, e consome. Muito.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Antes del atardecer...

Eu nunca posso partir pra outra assim, de repente, as pessoas tem um relacionamento, ai elas rompem e esquecem. Trocam amores muito facilmente. Eu nunca fui capaz de esquecer ninguém, porque cada pessoa tem suas qualidades especificas. Ninguém substitui ninguém...
Cada relacionamento que acaba me mágoa muito, não chego a me recuperar, por isso sou cuidadosa com as minhas relações e quando arrisco faço questão de não olhar nos olhos pra não sofrer depois.
É doloroso demais.
Nunca se pode substituir ninguém, porque todos são diferentes e têm sem detalhes encantadores.

(quem já assistiu "Antes do Pôr do Sol" pode dizer que já ouviu alguma coisa quase exatamente assim)

sábado, 4 de abril de 2009

Cuando llora.

Acreditando no que se teme não se tem o que se quer.
Quando chora, desaba num sentimento de alivio e tristeza; Quando chora, percebe que nada pode ser preso dentro de si.
Desaba em calma e desespero... Tudo passa, a tristeza vem antes da alegria e é mais duradoura. Quando chora, desperta a ansiedade de sorrir, a vontade de ser feliz. Então você fecha os olhos e respira fundo, levanta a cabeça e finge sorrir, procura um motivo, uma razão. Acha que encontrou e depois descobre que se enganou, então você desaba de decepção, sente medo.
E o medo é sempre o pior de tudo.

segunda-feira, 30 de março de 2009

Sin rumbo...

Eu poderia sair por ai, aproveitar a liberdade, mas eu não me sinto dona de mim.
Nunca me dei atenção o suficiente, e hoje me sinto sozinha e deixada de lado.
Quando sinto medo, me abraço e penso que tudo está bem.
Sinto que está tarde, um pouco tarde demais. Sinto saudade, muita saudade.
Enquanto ouço as pessoas dormindo me pergunto porque não faço o mesmo, nunca me entendi.
As vezes me pergunto se eu realmente existo, ou se só estou vagando pelo mundo, sem rumo, sem propósito.
Ando na chuva sempre que ela vem, dou risada sempre que ela surge. Lágrimas escorrem por meu rosto sempre que as prevejo. Calafrios passam pelo meu corpo sempre que ouço sons.
Me sinto bem com grande facilidade, me sinto alegre com grande facilidade. Me sinto triste com grande facilidade, mas feliz, é difícil.
Acontece as vezes.
As vezes eu toco, na verdade, tento. Sinto as cordas sob meus dedos e passo de leve a mão sobre elas, e quando vejo estou tocando, alguma musica que eu nunca ouvi e nunca vou gravar na mente, alguma melodia que eu faço e esqueço segundo após segundo.
Vez ou outra penso em fugir desse lugar, ai me vem o pior dos pensamentos: Eu não posso fugir dessa vida, desse mundo. Logo desisto, nunca tive medo de viver, nem tenho medo de falar.
Tenho medo de perder, esse é o meu maior medo. Maior e mais forte.
Já tive sensações que me apagaria da lembrança, já tive sonhos que jamais esquecerei.

La mejor frase

Eu queria não rir tanto, porque assim as pessoas pensam que eu nunca fico triste.

domingo, 29 de março de 2009

Una posible auto-biografía

Não entendo muito bem os meus sentimentos, mas sei quem sou. Sei que posso viver sozinha, mesmo que as vezes eu sinta falta de um abraço forte e conquistador, mesmo que as vezes eu chore de saudade. Eu sei que posso viver sozinha, viver comigo mesma. Eu sofro, eu me aconselho. Eu choro, eu me consolo. Eu me animo, eu me estimulo a continuar. Sei que posso ser um fracasso sozinha, mas estaria pior sem mim. Se um dia me afastei de alguém, vou saber que foi por ouvir meus sonhos.

La noche del sábado

Não sei descrever muito bem como me sinto agora, confusa, não penso em nada, em ninguém, não tenho ninguém pra pensar; Não tenho segredos, antes de dormir penso em histórias de ficção imaginando cada palavra lida.
Dando vida à pessoas que nunca vi e dificilmente voltarei a ver.
Perdi costumes, abandonei sonhos, vontades;
Sorri de saudade e chorei de alegria, o quão fui falsa com as minhas emoções.
Senti e não senti, tive medo. Joguei fora...
Falei coisas sem propósito, matando o tempo em pensamentos, imagens, sorrisos; suspiros.
Perdi a noção, tive medo, chorei, me recuperei, recai; tive vontades, desejos. Medo.
Muito medo...
Ouvi a melodia, senti as notas, falei as palavras, ouvi o que não queria, li o que temia.
Vivi momentos, não teve importância, nem falta.
Bebi o veneno, acertei o alvo.
Me perguntei o porque.
O porque da vida, do céu, do inferno; O porque da tristeza, da alegria, do medo; O porque das flores, das pedras; O porque de mim, de você; O porque da saudade.
Não encontrei respostas. Li. Pesquisei. Busquei problemas, encontrei.
Sorri fracamente, um sorriso que não atingiu os olhos. Senti saudade, senti falta.
Mas falta de que? De quem?
Recai, ouvi os sons, tive os desejos. Pensei nos textos, livros, autores. Discussões; E o porque daquilo; O porque disso.
O sentimento, o abraço, sorriso, beijo.
A paixão, o amor, o ódio; Sentimentos tão diferentes e tão iguais; Distantes e próximos.
E o desejo mais uma vez. Leve tentação.